Dois homens acabaram sendo mortos pela Polícia Militar. O fato ocorreu no interior de Rondônia.

Segundo informações, uma Central da Polícia Militar recebeu uma denúncia anônima, alertando que haviam alguns elementos fazendo ameaças para alguns moradores. Diante disso, duas guarnições da Polícia Militar se deslocaram até o local, para averiguar a situação. Quando os policiais chegaram, viram alguns elementos e um carro Chevrolet Classic, parado em frente a uma escola.

Em seguida, os militarem pediram para todos os elementos saírem do veículo com as mãos para cima. Um dos elementos, identificado como Fagner, respeitou o pedido dos militares e saiu tranquilamente do carro, mas o seu amigo, identificado como Alan, acabou ficando assustado com o que estava acontecendo e colocou as mãos na cintura e pegou um revólver.

Logo após, os policiais militares pediram para Alan abaixar a arma e jogá-la no chão, mas ele não acatou o pedido dos militares e tentou reagir, atirando para cima da guarnição, que revidou. Fagner viu que seu amigo estava sozinho e também resolveu reagir, pegou uma arma que estava no interior do veículo e, juntos, atiraram em direção aos policiais.

Durante a troca de tiros, os elementos acabaram sendo alvejados pelos disparos e se renderam. Uma ambulância do Serviço de Atendimento Móvel (Samu) chegou a ser acionada para socorrer os indivíduos. Quando os paramédicos chegaram no local, perceberam que os homens estavam em uma situação bastante crítica. Em seguida, ambos foram conduzidos para um Hospital Regional.

Eles chegaram a ser socorridos pelos médicos do hospital, mas acabaram não resistindo aos ferimentos e morreram no local.

Um terceiro homem estava escondido no carro e foi conduzido à Delegacia. Em depoimento, ele disse que é motorista dos bandidos, e foi obrigado a dirigir quando a guarnição chegou.

Com medo, ele preferiu não empreender fuga. Ele se encontra detido até um julgamento.

Aumento da criminalidade em Rondônia

Alguns moradores do Bairro de Jurucema, que fica no interior de Rondônia, disseram que a violência está tão grande, que nem a viatura da Polícia Militar passa no local. Muitos alegam sobre a criminalidade crescente no estado.

Por meio de nota, um Porta-voz da Polícia Militar disse que irá averiguar essas acusações e colocar uma viatura para fazer um patrulhamento próximo ao local. Até o momento, nenhuma viatura está fazendo a segurança na localidade.

Siga a página Polícia
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!