O ministro da Defesa, Raul Jungmann, avaliou a situação do estado do Rio de Janeiro na tarde de quarta-feira (31). Ele foi convidado para participar de um evento promovido pela Polícia Militar do Rio e a ONG Viva Rio, na sede da Firjan (Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro). Ele informou que a situação do estado é a pior do país, pois os criminosos estão fazendo esquemas de dentro da cadeia.

Ele também falou sobre a situação de alguns detentos e informou que muitas celas se encontram com superlotação e alguns presos são mantidos em situações precárias. Existem relatou que alguns presídios do estado estão sofrendo com a falta itens básicos, como papel higiênico, escova de dente e sabonete. Além disso, alguns presos acabam não conseguindo se alimentar, pois a comida é limitada.

Concurso para polícia

O estado está tão falido que o último concurso para a Polícia Militar aconteceu no ano de 2014.

Cerca de 6 mil vagas foram abertas, mas apenas 3 mil pessoas foram chamadas. Diante disso, algumas pessoas que passaram no concurso e não foram chamadas tentam recorrer na Justiça para tentar garantir uma vaga na instituição.

Segundo informações, os aprovados no concurso não foram chamados até hoje porque o estado está passando por uma forte crise financeira e política. Diante disso, os cariocas vêm sofrendo com a falta de policiamento na cidade.

Devido a esse déficit, diversos criminosos se aproveitam para realizar assaltos, pois sabem que é presença da polícia é muito pouca.

Nos últimos anos, a violência vem crescendo constantemente. Além da população, os policiais militares também estão sofrendo com isso. Muitos estão com a escala apertada, pois faltam efetivos em muitos batalhões.

Mortes de policiais militares e viaturas

No ano de 2017, foram registradas quase 150 mortes de policiais vítimas da criminalidade.

O inicio do ano também começou mal, pois já ocorreram mais casos de policiais mortos. Diante disso, muitos militares desanimam e pedem baixa, pois temem a serem a próxima vítima.

Além de tudo o que está acontecendo, as viaturas que os policiais usam não estão servindo para fazer perseguição. Muitos veículos estão em precárias condições, pois não têm manutenção e nem conserto. Isso está acontecendo, pois o estado não está investindo na polícia do Rio de Janeiro.

Para ter mais segurança, alguns comerciantes realizam ''vaquinha'' para pagar o conserto de algumas viaturas.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo