Alguns crimes que acontecem no Brasil chamam a atenção pelos detalhes que apresentam. [VIDEO]Nessa semana, por exemplo, Elaine Cristina dos Anjos Barros, uma empregada doméstica, atualmente com 34 anos, foi presa na cidade de Santos, no estado de São Paulo. Ela era procurada desde o final do ano passado, pois foi acusada de abusar sexualmente de um adolescente [VIDEO], na época com quatorze anos.

O menino, que estava iniciando a vida sexual, era filho da sua patroa. A mulher tentava fazer o garoto ficar atiçado e transar com ela, como se "virasse um homem". De acordo com informações da vítima, o pobre garoto foi violentado sexualmente pelo menos duas vezes.

Emprega doméstica comete pelo menos dois estupros contra menino de 14 anos

Elaine estava sendo procurada pela polícia e foi achada em sua residência. Ela já estava condenada há oito anos de detenção. No entanto, a doméstica poderá cumprir a pena no regime semiaberto. Nessa modalidade, a presa apenas passa a noite na cadeia e trabalha durante o dia.

Empregada é presa sob acusação de abuso sexual, em Santos, São Paulo

O crime ocorreu em 2012. A doméstica teria abusado do filho de sua patroa pelo menos duas vezes. A mulher morava próximo à sua casa. Por isso, o adolescente, tinha acesso fácil ao local do crime. Durante duas semanas, os Abusos aconteceram. Ela pediu que o menino entrasse em sua casa, levantou a blusa e solicitou para que ele tocasse em seus seios. Na sequência, ambos realizaram sexo sem uso de preservativo.

A mãe descobriu um pouco depois, ao notar mudanças no comportamento do menor de idade.

Foi a mãe do estudante quem o acompanhou, após o ocorrido, até a Delegacia de Defesa da Mulher para relatar os fatos. A mulher deve agora ser encaminhada para uma cadeia feminina.

Público se revolta com doméstica que abusou de menino

Nas redes sociais, o público criticou a doméstica. No entanto, o fato do menino ter conseguido ter ereções intrigou alguns e até gerou reboliço. "Ele poderia estar usando o instinto dele, mas ela sabia que era crime. Logo, a pena nem poderia ser semiaberta. Caso fosse um homem estariam querendo mata-lo agora. Logo, a pena não pode ser diferente", disse um internauta. "Vejo as chacotas e fico pasmo, imagina se fosse menina? a comoção seria maior, certamente. Isso mostra que vivemos na era contemporânea que cada um olha o seu umbigo, mas conhecido como Narcisismo", analisou um outro internauta ao falar sobre o tema.

Algumas pessoas defenderam a abusadora. "Essa história está mal contada, a idade de consentimento é de 14 anos, não importando a idade do outro, desde que não role dinheiro na parada. Se o piá foi "agredido" porque ele voltou lá ? E outra, se o cara foi obrigado, como o negócio funcionou?", analisou outro.