Um caso de assassinato que chocou o país, dez anos depois da morte da pequena Isabella Nardoni, sua mãe Ana Carolina dá uma entrevista exclusiva ao portal G1 e conta como foi o processo para reconstruir sua vida.

Com duas fotos de Isabella sorrindo em dois porta-retratos na estante da sala e vários brinquedos espalhados pelo chão do pequeno Miguel, irmão de Isabella e que está com apenas 1 ano e 9 meses de idade, Ana Carolina recebe a equipe para a entrevista.

Ana Carolina começa contando que será muito difícil explicar ao filho mais novo que ele tinha uma irmã e que hoje teria 15 anos de idade, mas que foi assassinada pelo próprio pai.

''Nós aprendemos a sobreviver com a dor, o sentimento que tenho hoje é de muita saudade apenas”, diz a mãe de Isabella.

Com apenas cinco anos de idade, no dia 29 de março de 2008, a menina foi jogada da janela do sexto andar do prédio em que seu pai e sua madrasta moravam na Zona Norte de São Paulo.

O que despertou a revolta da população foi a forma cruel do assassinato e principalmente por ter sido cometido pelo próprio pai.

A mãe de Isabella, hoje com 33 anos e casada com o administrador de empresas Vinícius Francomano, de 31 anos, são pais de Miguel e tentam ter uma vida tranquila e não trazer emoções ruins para dentro de sua casa.

De acordo com Carolina, as investigações foram muito claras e rápidas e concluíram Alexandre Nardoni e Anna Carolina Jatobá como os assassinos da menina.

O Ministério Público em seu laudo avaliou que pai e madrasta agrediram Isabella e por acreditarem que ela estivesse morta, cortaram a tela de proteção e a lançaram viva do sexto andar.

“Minha filha ainda respirava quando foi socorrida, mas não resistiu. Quem deveria protegê-la não o fez e isso não tem perdão”, diz a mãe da pequena Isabella Nardoni.

O casal sempre negou o assassinato, mas foi condenado em 2010, recebendo uma pena de 30 anos e 2 meses, Alexandre Nardoni cumpre pena no presídio de Tremembé.

Já Anna Jatobá recebeu uma pena de 26 anos e 7 meses.

“São dez anos sem minha filha e isso tem um significado muito diferente das outras datas para mim. Lembro-me de tudo que aconteceu no dia e isso me dói e me machuca muito, são dez aniversários, dez anos sem seu sorriso e sua vitalidade, isso não foi algo natural, foi tirado de nós”, se emociona Ana Carolina.

A mãe de Isabella conta que foi morar nos EUA em 2010, para esquecer a tristeza.

Mas voltou pro Brasil, está casada e tenta ter uma vida normal, mesmo ainda sendo reconhecida nas ruas como a mãe da menina assassinada pelo pai.

“Hoje mais adulta procuro dar todo o amor possível ao meu filho e marido, minha pequena menina estará sempre presente em minha vida, como um anjo que passou por aqui para me trazer sabedoria e paciência, jamais esquecerei minha Isabella”, concluiu emocionada Ana Carolina.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo