Um menor de idade que teria participado do assassinato de um subtenente do Exército foi executado. O caso foi registrado na noite de quarta-feira (21) em Manaus, capital do Amazonas.

De acordo informações repassadas pela Polícia, o adolescente estava acompanhado de mais uma pessoa. Os dois estavam em frente a uma residência localizada no bairro Compensa, Zona Oeste de Manaus. O menor foi surpreendido por homens armados, que realizaram diversos disparos de arma de fogo na direção das vítimas. Seis disparos acertaram na cabeça do adolescente, que foi identificado como T.L.O., de 17 anos, que era bastante conhecido na região pelo envolvimento com o crime.

O homem que acompanhava o adolescente também foi atingido por três disparos, mas ele foi socorrido e o estado dele é estável. Ele foi identificado como Leandro da Silva Barbosa, de 21 anos. O rapaz tinha diversas anotações policias pelos crimes de tráfico de drogas e tentativas de assaltos.

Entenda o caso

No dia 24 de março de 2017, o subtenente do Exército Vladimir dos Santos Ladeira, de 46 anos, estava na Feira da Compensa, quando foi surpreendido por diversos homens armados anunciando o assalto.

O militar tentou reagir, mas acabou sendo morto. Ainda com vida, ele chegou a ser levado para uma unidade médica da região, mas não resistiu aos ferimentos e morreu a caminho do hospital.

Dois dos envolvidos no crime, Dênis de Oliveira, o “Garnizé”, de 25 anos, e Marcelo Martins Leal, o “Marcelinho”, de 21 anos, foram condenados em novembro passado. T.L.O. também foi apreendido, mas ficou apenas alguns meses preso e depois ganhou a liberdade.

Com ele, foi encontrada a pistola Taurus 9mm roubada do militar no momento do assassinato.

Manaus

Nos últimos meses, diversos casos de assassinato têm sido registrado em Manaus. Isso pode ser o reflexo da falta de policiamento nas ruas, onde os maus elementos se aproveitam para realizar todos os tipos de crimes, pois sabem que a presença da Polícia Militar nas ruas é escassa. Pelas redes sociais, muitas pessoas comentam que evitam sair de casa com medo de serem vítimas de assaltos.

Além disso, muitos comerciantes também sofrem com a onde de violência, pois têm que fechar os estabelecimentos mais cedo para que não sejam vítimas de roubos. Essa e outras medidas preventivas de segurança estão sendo tomadas pela população local.

Até o fechamento deste artigo, nenhum representante da Polícia Militar se pronunciou sobre o aumento da violência na cidade.

Não perca a nossa página no Facebook!