Porta-voz do Comando Militar do Leste (CML), o coronel Carlos Cinelli revelou nesta terça-feira, dia 20, que as forças militares que realizam patrulhamento na Vila Kennedy, na zona oeste do Rio de Janeiro, devem deixar a comunidade em um prazo de duas a três semanas. As informações foram veiculadas pela Agência Brasil.

Os militares estão atuando na comunidade desde o dia 23 de fevereiro, quando a intervenção federal na segurança pública do estado do Rio de Janeiro começou. Segundo o coronel, a Polícia Militar (PM) irá assumir efetivamente o comando das operações de patrulhamento na comunidade assim que as forças militares deixem o local.

Cinelli também afirmou que o procedimento realizado na Vila Kennedy está servingo como parâmetro para outras ações que serão realizadas durante o período da intervenção federal no estado.

O coronel também declarou que o projeto aplicado primeiramente na comunidade da zona oeste tem três etapas, sendo a primeira a de “estabilização inicial”, quando mandatos de prisão foram cumpridos e obstáculos - como barricadas colocadas pelos traficantes - foram removidos das vias da comunidade, permitindo o acesso dos veículos das forças de segurança.

Segundo Cinelli, a segunda etapa da intervenção na Vila Kennedy contou então com patrulhamentos dinâmicos realizados em conjunto pelos militares e pela PM, buscando minar o poder dos criminosos na região. A terceira e última fase é a que está sendo aplicado agora, quando a PM voltar a tomar a frente do combate à criminalidade na região, encerrando o ciclo definido pelo comando da intervenção.

De acordo com o coronel Cinelli, o modelo aplicado na Vila Kennedy está sendo analisado pelo Gabinete da Intervenção, chefiado pelo general Walter Souza Braga Netto, e deve ser aplicado em outras regiões da capital fluminense.

Cinelli também afirmou que o Gabinete da Intervenção tem debatido outras medidas para que os efeitos da intervenção não retrocedam e a população residente na comunidade não volte a ser “achacada e tiranizada com a intensidade que estava sendo”.

Não perca a nossa página no Facebook!