Anúncio
Anúncio

Um traficante foi executado com mais de 30 tiros, onde a maioria dos disparos atingiu a região da cabeça. O caso foi registrado na noite de sexta-feira (9), no norte do estado de São Paulo. Segundo informações sobre o caso, o traficante, identificado como Jean Carlos Dias Matos, era bastante conhecido na região pelo vulgo ''Tatá''. O mesmo estava em um bar, em Colina, no bairro Pinheiros, quando foi surpreendido por alguns homens que estavam armados. Os indivíduos se encaminharam até o traficante e realizaram diversos disparos de arma de fogo.

Anúncio

Algumas pessoas que estavam no local ficaram assustadas com a ação covarde dos criminosos e fugiram, com medo de sofrerem na mão dos envolvidos.

O traficante só parou de ser atingido pelos disparos quando um dos indivíduos percebeu que o mesmo já não estava respirando. Em seguida, todos os envolvidos fugiram no local, sem levar nada de Jean. Após o crime ser cometido, algumas pessoas ligaram para a polícia militar, relatando que um homem havia sido executado. Rapidamente, algumas viaturas da Polícia Militar chegaram no local e visualizaram o homem no chão, coberto de sangue.

Por questão de respeito, os policiais isolaram a área, para que ninguém pudesse tirar fotos do corpo. Brevemente, uma pequena perícia foi realizada no local e foram encontradas mais de 30 cápsulas de munição calibre .380 e 9mm. Algumas pessoas que escutaram os disparos relataram que foram ouvidos mais de 50 disparos, mas esse número ainda não foi confirmado pelos agentes que periciaram o local.

O delegado responsável pelo caso, Dair Oliveira Júnior, disse que irá investigar o caso e tentar localizar os possíveis envolvidos no crime.

Anúncio

Sobre a ficha criminal de Jean, o delegado informou que o mesmo tinha uma ligação direta com o tráfico de drogas e que agia na localidade. Diante disso, a hipótese de disputa pelo ponto de venda de drogas não está descartado.

Até o momento, a polícia não apresentou nenhuma informação sobre o caso. O delegado chegou a fazer um apelo para a população local, dizendo que eles podem denunciar, caso saibam onde os possíveis dos autores dos disparos poderiam estar.

Quem era o traficante?

Jean, era bastante temido na região, pelo fato de exercer um cargo de chefe do tráfico.

O mesmo tinha sido preso no ano de 2007, durante uma operação da Polícia Federal. Ao ganhar liberdade, Tatá voltou a exercer as mesmas atividades criminosas.