O Partido Socialismo e Liberdade (PSOL) entrou com um pedido no Supremo Tribunal Federal (STF) para acabar com a intervenção federal que está acontecendo no estado do Rio de Janeiro. O partido argumenta que a intervenção está sendo desproporcional, além de não respeitar a Constituição Federal.

''As pretensões eleitorais do edito interventivo são nítidas e fartamente noticiadas. Esse escuso motivo, porém indisfarçável intenção, aliado à desproporção da medida e da sua falta de economicidade, dizem do flagrante desvio de finalidade do decreto de intervenção '', diz o PSOL na Adin (Ação Direta de Inconstitucionalidade) impetrado no STF.

Os integrantes do partido alegam que a intervenção no estado pode ser afetada durante as eleições.

Por que aconteceu uma intervenção no Rio de Janeiro?

Luiz Fernando Pezão (MDB), que é o atual governador do estado, pediu uma intervenção federal pelo fato da Polícia Militar não está dando conta de combater o crime. A intenção é espalhar homens das Forças Armadas nas ruas do Rio de Janeiro na tentativa de reduzir a ocorrência de roubo, furto, assalto à mão armada e tráfico de drogas.

Michel Temer, que é o atual presidente do país, aceitou o pedido feito pelo governador. No momento, diversos homens do Exército brasileiro estão posicionados em pontos que são os mais afetado pela criminalidade. Mesmo com o apoio dos militares nas ruas do Rio, os criminosos ainda continuam realizando crimes diuturnamente.

Vereadora é morta na cidade

Na noite dessa quarta-feira (14), a vereadora Marielle Franco (PSOL) foi vítima de criminosos armados. Segundo algumas informações sobre o caso, ela estava acompanhada de um motorista particular, quando um carro emparelhou ao lado e homens realizaram diversos disparos, acertando Marielle com quatro tiros na cabeça.

No confronto, além da vereadora, o motorista também morreu.

Os envolvidos que realizaram os disparos não chegaram a levar nenhum objeto da vereadora. Pelo fato ser recente, a Delegacia de Homicídios está investigando o caso e irá tentar pegar imagens de câmera de monitoramento na região para tentar identificar e localizar os possíveis autores dos disparos que resultaram na morte de Marielle.

Redes sociais

Alguns cariocas que estão acompanhando a situação da cidade argumentam que esses problemas poderiam ter sido evitados se houvesse um reforço no policiamento. Atualmente, a Polícia Militar do Rio conta com um efetivo bastante precário.

Um dos últimos concursos para a PM aconteceu em 2014, com pretensão de convocar seis mil novos soldados. Segundo algumas informações, boa parte dos aprovados ainda não foi chamada para assumir o posto.

Não perca a nossa página no Facebook!