Uma notícia muito chocante abalou muita gente. Uma criança de apenas 11 anos foi estuprada por ao menos 14 homens durante um baile funk na cidade de Praia Grande, localizada no litoral de São Paulo.

O boletim de ocorrência sobre o crime hediondo foi registrado nesse domingo, 22 de abril, na Delegacia Sede de Praia Grande. As autoridades ainda estão em processo de investigação para que possam fazer a identificação dos criminosos que cometeram tal abuso.

O portal de notícias da TV Globo, o G1, ouviu uma amiga da família da criança, que não quis se identificar.

De acordo com ela, a criança a havia procurado, afirmando que sofrera um abuso. Segundo a amiga da família, ela pediu para dormir em sua casa e lá contou sobre o estupro.

Ainda foi informado que ela havia marcado uma consulta para fazer exames médicos, mas no domingo, a menor sofreu fortes dores e precisou ser levada ao hospital. No centro médico, a especialista de plantão fez os devidos exames e conseguiu constatar que a criança havia passado por relações sexuais recentes.

Porém, como a testemunha que estava com a criança não era uma parente, os funcionários do local acionaram o Conselho Tutelar de Praia Grande, que fez o envio de uma representante para que houvesse uma conversa detalhada com a criança sobre o que teria acontecido.

A conselheira apurou com a vítima a informação de que ela, de fato, teria sido abusada por 14 homens durante um baile funk.

O crime teria cometido no bairro Vila Mirim. A jovem ainda chegou a afirmar que o local tinha muita bebida alcoólica. A amiga que a acolheu afirmou que ela é “muito influenciada”. A menor foi enviada para o Conselho Tutelar após o estupro ter sido confirmado e, até o fechamento deste artigo, permanece sob a vigilância dos profissionais do órgão.

A mãe da criança foi procurada pelo Conselho Tutelar, mas, de acordo com os policiais envolvidos na investigação, está incapacitada, internada em um hospital da cidade com problema de saúde. A Polícia Civil está mantendo a investigação e não sabe ainda quem são os responsáveis pelo crime. A Delegacia da Mulher deverá atuar sobre as questões do estupro.

O G1 ainda apurou que a menor foi atendida na Unidade de Pronto Atendimento Quietude e encaminhada para o Serviço de Acolhimento da cidade, onde está recebendo cuidados necessários para a manutenção da saúde e segurança.

A prefeitura deverá ceder imagens de monitoramento após o local do crime ser revelado.

Não perca a nossa página no Facebook!