Um homem acabou morrendo depois de dar entrada em uma unidade prisional de Paranaguá, que fica localizado no interior do Estado do Paraná. O crime foi registrado na tarde desta última sexta-feira (7).

De acordo com algumas informações fornecidas pela própria polícia civil, por volta das 13 horas, alguns agentes penitenciários escutaram alguns gritos pedindo socorro. Diante disso, os funcionários foram até o local onde estavam vindo os gritos para averiguar a situação. Quando os agente penitenciários chegaram no local, não encontraram nada de anormal.

Os detentos informaram que os gritos estavam acontecendo pelo fato dos mesmos estarem jogando baralho. Mesmo com esse argumento, os funcionários insistiram e entraram na cela e pediram para todos os aprisionados saírem do local, para que uma averiguação pudesse ser realizada. Quando os indivíduos estavam saindo, um dos presos que foi identificado como Jhonata, confessou que havia matado Kelvin e que o corpo se encontrava no banheiro de uma das celas.

Os agentes foram até o banheiro e acabaram visualizando o elemento com diversas perfurações na região do pescoço.

De primeiro momento, os funcionários chegaram a fazer os primeiros socorros, mas o detento já se encontrava sem vida. Ao lado do corpo do indivíduo, foi encontrada um pedaço de barra de ferro que estava envergada na forma da letra U.

A perícia criminal acabou sendo acionada para comparecer no local do crime. Os policiais ficaram durante alguns minutos no local e depois recolheram o corpo do detento, onde foi encaminhado para uma unidade do Instituto Médico Legal (IML).

Provavelmente, os familiares do detento foram informados para que as medidas necessárias pudessem ser tomadas para a liberação do corpo.

A direção da penitenciária ainda não se pronunciou sobre o homicídio. A polícia ainda está investigando esse fato, na tentativa de saber se houve outras participações no crime. Até o fechamento dessa matéria, nenhuma informação nova foi fornecida pela polícia.

Provavelmente, o detento que matou Kelvin irá responder o processo por homicídio.

Entenda o caso

Kelvin e Jhonata tinham sido presos no mesmo dia, após terrem sido acusados de participarem na morte de um homem identificado como Guilherme Galan Constantino, 35 anos, o qual se encontrava em situação de rua. De acordo com algumas informações, o morador de rua havia sido morto após o mesmo abusar sexualmente de uma mulher.

Não perca a nossa página no Facebook!