As buscas pelos desaparecidos nos escombros do edifício Wilton Paes de Almeida, que desabou após um incêndio na madrugada do último dia 1º, no Largo do Paisandu, no Centro de São Paulo, entram em seu sétimo dia. Cinco pessoas são dadas oficialmente como desaparecidas e dezenas de homens de Corpo de Bombeiros trabalhavam dia e noite ainda na expectativa de encontrarem sobreviventes, expectativa que diminui a cada dia, mas que não tira as esperanças da corporação.

“O Corpo de Bombeiros sempre trabalha com a hipótese de encontrar vítimas com vida”, declarou em entrevista ao portal G1 o major Eduardo Drigo. Para ele, essa possibilidade é sempre trabalhada até que se concluam os serviços.

O major se apoia no fato de existirem bolsões de ar entre os escombros, possibilitando a vítima de respirar. Elas também poderiam beber a água lançada pelos bombeiros para apagar o foto.

Ele citou ainda o caso do World Trade Center, em 2001, quando sobreviventes foram encontrados nesta situação. “Após vários dias foram encontradas pessoas”, disse, se referindo ao desabamento das Torres Gêmeas, em 2001, após serem atingidas por dois aviões.

O major explica que o fato de haver laje sobre laje cria bolsões de ar, e com isso as pessoas podem seguir respirando. Ele admite que a possibilidade não é grande, mas que ela existe.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Santos

Já o porta-voz do Corpo de Bombeiros, capitão Marcos Palumbo, explicou que existem relatos internacionais de pessoas que foram encontradas com vida 14 dias após um desabamento, ocorrido na Indonésia. Ele explica ainda que, se de fato houver sobreviventes, eles estão entre o sétimo e o oitavo andar, que é a região onde ainda há focos de incêndio, o que evidencia a presença de oxigênio. Ele também diz que há chance de encontrar os desaparecidos com vida, caso elas estejam no subsolo, onde há oxigênio e água.

Desaparecidos

Após os Bombeiros encontrarem o corpo de de Ricardo Oliveira Galvão Pinheiro, que estava sendo resgatado no momento em que o prédio desabou, cinco pessoas ainda são estão desaparecidas. As equipes de resgate procuram por Eva Barbosa Lima, de 42 anos, e seu marido Walmir Sousa Santos, de 47. Também estão desaparecidos Selma Almeida da Silva, de 40 anos, e seus dois filhos gêmeos, Welder e Wender, de nove anos.

No final da tarde deste domingo (6), os bombeiros acharam restos mortais que parecem ser de Ricardo. Foram encontrados uma arcada dentária e parte de um maxilar. Junto com eles estava um pedaço de corda, similar ao que estava sendo usada na tentativa de resgate.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo