Jovens, algumas não aparentam ter mais de 12 anos de idade, com maquiagem pesada e roupas sensuais elas embarcam para bailes funk onde as garotas são incentivadas a praticarem sexo sem proteção.

De acordo com o portal de notícias online, 'Folha de S. Paulo, os bailes funk são marcados através das redes sociais, mas o local nunca é especificado, por isso usa-se o termo 'secreto'. Quem confirma a presença recebe o endereço do evento no dia em que ele vai acontecer, as mensagens são compartilhadas em grupos do WhatsApp.

Mensagens cifradas

Antes e depois dos bailes circulam nas redes sociais mensagens [VIDEO] cifradas que ficam complicadas de serem entendidas para quem não transita neste meio.

Mensagens de cunho sexual também são bastante comuns, como, por exemplo: "dorme com loira, acorda com morena e go*a na ruivinha", "mulher gosta de apanhar entre quatro paredes", "eu tô na vibe de tacar sem camisinha", "fulana engravidou e eu, hein, assumir é ela".

Prostituição

Ainda segundo o portal existem evidências de que há sexo pago nestes bailes, postagens nos grupos dão a entender que a prostituição é comum e incentivada. "Vai passando o xerecard" e também chamam "as novinhas pro fluxo". Fluxo é o nome dado aos bailes que acontecem nas ruas, sem que haja venda de ingressos, geralmente estes eventos são marcadas através das redes sociais.

Relatos estarrecedores

Professores da rede pública de escolas da grande São Paulo, convivem diariamente com garotas que vivem tal realidade.

Alguns educadores fazem relatos estarrecedores, de acordo com eles, as garotas se encostam nas paredes e competem por penetrações.

Quanto mais sexo elas fizerem, com o maior número possível de rapazes, mais dinheiro elas ganham, porém se uma delas desmaiar, perde a grana.

Algumas destas meninas [VIDEO] têm apenas 13 anos de idade, mas aparentam ser bem mais velhas. Ao que tudo indica, nestas competições não há indícios de uso de qualquer tipo de preservativos. Tanto que com frequência algumas meninas aparecem grávidas e nem imaginam quem é o pai da criança.

As garotas que se relacionam com homens mais velhos, se tornam respeitadas é uma referência para as demais. Há um caso de uma menina de 13 anos que se casou com um homem de 30 anos que tinha acabado de sair da prisão. Ao que parece a família da jovem não interviu por medo de represálias.

Alias, quem ousa denunciar os bailes e o que acontece neles é ameaçado pelos organizadores de tais eventos.

Quando as famílias são procuradas, os pais relatam que já não sabem mais o que fazer com os filhos e filhas que estão nesta situação.

As denúncias sobre abuso sexual e alienação de menores podem ser feitas de forma anônima através do Disque 100.