A greve dos caminhoneiros entra hoje em seu 8º dia e a população fica sem entender, pois na noite deste último domingo, Michel Temer fez um pronunciamento onde anunciou que estava ampliando as exigências atendidas e assim, esperava o fim imediato da paralisação. Muitos pensaram que na manhã de hoje a situação estaria normalizada, porém, várias rodovias estão registrando obstrução e há muita incerteza entre todos.

Os postos seguem sem combustível por todo o Brasil, escolas suspenderam as aulas, o transporte público praticamente não funciona e os jornais mostram que ainda há muitos caminhoneiros insatisfeitos com as propostas do Governo, por isso irão manter a greve.

Representantes dos caminhoneiros informaram que aceitaram a proposta feita pelo presidente Michel Temer, neste último domingo (28), entre elas a redução de 46 centavos no preço do litro do diesel e que isto será mantido por 60 dias, sendo que depois os reajustes serão mensais. Também ficou decidido que terá isenção de pagamento em pedágio os eixos suspensos dos caminhões vazios. Só com a redução dos R$ 0,46 no litro do diesel, o governo terá um prejuízo de R$ 10 bilhões.

Carlos Alberto Litti Dahmer, presidente do Sinditac - Sindicato dos Transportadores Autônomos de Carga de Ijuí, no Rio Grande do Sul, informou que as propostas de Michel Temer já foram publicadas no Diário Oficial, por isso pediu a todos os caminhoneiros que aceitem o acordo e liberem as estradas, porém, na prática não é isto que tem sido visto na manhã desta segunda-feira (28).

José da Fonseca Lopes, presidente da Abcam - Associação Brasileira dos Caminhoneiros, avisou que a paralisação deve acabar, uma vez que o presidente atendeu às reivindicações, por isso os motoristas devem desarmar os acampamentos e retornarem ao trabalho imediatamente.

Mas na noite de ontem, Diumar Bueno, presidente da CNTA - Confederação Nacional dos Transportadores Autônomos, informou que não há como garantir o fim da greve dos caminhoneiros, pois isto depende da base, uma vez que a categoria resolveu parar de forma independente e agora são esses motoristas que vão resolver sobre o fim, ou não da greve.

A atual situação do país é a seguinte: na teoria, a greve dos caminhoneiros chegou ao fim, mas na prática, ainda há muitos caminhoneiros parados e vários pontos interditados. Acredita-se que no decorrer de hoje, os motoristas irão retomar ao trabalho, mas de forma lenta e a mobilização iria terminando aos poucos, porém, nada é garantido.

Siga a página Política
Seguir
Siga a página Política
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!