A greve dos caminhoneiros que já está no seu sexto dia causa transtornos no Brasil. O transporte rodoviário corresponde a 65% de toda malha de transporte na economia brasileira. A paralisação dos serviços no país repercutiu na imprensa internacional.

Mesmo com sua crise interna, por conta das eleições de Nicolás Maduro o portal de notícias El Universal, de Caracas, destacou a falta de combustível no aeroporto de Brasília, o jornal ainda destaca que mesmo com o acordo firmado entre o Governo e os manifestantes, muitos caminhoneiros continuam bloqueando estradas pelo Brasil.

O portal de notícias Clarín, de Buenos Aires, também destacou a falta de combustível no aeroporto de Brasília e informou sobre o cancelamento de voos.

O site El Pais - Uruguai destacou como a paralisação no Brasil afeta a economia uruguaia.

A BBC, de Londres, destacou a escassez de produtos básicos à população brasileira, a falta de combustível em aeroportos e a redução dos transportes públicos em todo país. A BBC criou um link para o leitor entender os sucessivos escândalos políticos e econômicos que assolam todo o Brasil.

A Bloomberg site especializado em economia destacou que a paralisação dos caminhoneiros poderá mudar os rumos da corrida presidencial em outubro.

O site The Washington Post muito influente nos Estados Unidos, destacou o fechamento das escolas, a paralisação de transportes públicos e a falta de combustível em postos em todo Brasil.

A Reuters, principal agência de notícias do mundo, repercutiu o pronunciamento do presidente Michel Temer e sua autorização para o uso de forças armadas para dissipar a paralisação.

O site ainda destaca o transtorno causado na economia brasileira, inclusive na América Latina, e ressaltou que São Paulo, o maior estado do Brasil, decretou estado de emergência devida à falta de combustível.

A agência France Presse, da França, repercutiu a paralisação do setor automotivo no Brasil devido à greve que se expandiu por todo país.

A Forbes deu destaque para as pressões que a população tem feito para a redução do preço do combustível da Petrobras e como podem ficar as ações da empresa no mercado.

O site La Vanguardia, da Espanha, informou que caminhoneiros mantêm greve mesmo após acordo com o governo brasileiro de rever o preço do diesel no país por 15 dias, o governo brasileiro propôs que os caminhoneiros voltassem ao trabalho para não impactar negativamente a economia, porém, alguns membros da categoria não aceitaram o acordo e deram andamento à greve.

Siga a página Governo
Seguir
Siga a página Política
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!