O que aconteceu na madrugada desta terça-feira, dia 1º de maio, é até difícil descrever, pois ninguém esperava que o prédio em chamas fosse desabar, no Largo do Paissandu, Centro de São Paulo. Rapidamente o fogo se alastrou também para um prédio ao lado, que logo foi completamente tomado pelas chamas e várias equipes do bombeiro faziam de tudo para tentar impedir que outros imóveis fossem atingidos.

Publicidade
Publicidade

Já foi confirmada a morte de uma pessoa e várias outras estão desaparecidas. Testemunhas disseram que a vítima fatal foi vista no 8º andar do edifício, gritando por ajuda, pouco antes de o prédio desabar. Por volta das 5 horas, o governador de São Paulo, Márcio França (PSB), foi ao local e confirmou que cães farejadores estarão no local tentando encontrar possível sobreviventes, mas as chances de encontrar alguém com vida são mínimas.

Publicidade

Os moradores tiveram que ser retirados do local, pois era grande o risco de intoxicação. Algumas pessoas estavam, inclusive, com pequenas escoriações. Agora será feita uma ampla investigação para tentar descobrir o que de fato pode ter ocasionado esta tragédia, pois há quem diga que um gás explodiu, outros falam que um dos moradores esqueceu uma vela acesa, mas os peritos tentarão chegar à verdadeira causa do incêndio.

O prédio era uma antiga instalação da Polícia Federal, mas foi desativada e o prédio acabou sendo ocupado de forma irregular. O corpo de bombeiros acredita que o incêndio possa ter sido iniciado no 5º andar, mas ainda é cedo para fazer qualquer afirmação com certeza.

Outra informação é de que no prédio moravam 50 famílias, mas a maioria estava do lado de fora do imóvel quando o incêndio começou. Mas ninguém sabe ao certo quantas pessoas estavam morando no imóvel e será preciso começar a ouvir todos os sobreviventes para tentar descobrir quantos de fato estão desaparecidos até o momento.

No vídeo abaixo é possível ver o momento exato em que o prédio em chamas desaba:

Um rapaz, morador do prédio, contou que a mãe de 61 anos está desaparecida e que eles moravam no 3º andar do edifício que desabou.

Publicidade

Chorando muito, ele contou que, ao perceber o incêndio, foi ao 6º andar para ajudar a irmã que tem uma criança e está grávida. Depois, ele não conseguiu voltar para ver se a mãe tinha saído do imóvel, pois, quando estavam descendo pela escada, já perceberam que tudo estava desmoronando.

O fogo estava por todo lado e precisaram sair imediatamente, não tendo como ir ver se a mãe havia saído. Testemunhas contaram que antes do incêndio começar ouviram um estrondo.

Publicidade

Por isso, há quem diga que possa ter sido um botijão de gás que explodiu, mas como era proibido usar botijão no prédio, esta hipótese seria descartada, a não ser que alguém levou um para o apartamento de forma irregular.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo