Com tanto nome para colocar nas suas filhas Valdemir Lopes, que trabalha como pedreiro, escolheu Chislihilquia, Chelmahilquia e Charahilquia para nomeá-las. Esse assunto gerou muitas risadas nos últimos dias depois que o G1 fez uma reportagem sobre o assunto. O homem alegou que conheceu mulheres trigêmeas no Piauí que se chamavam Chara, Chelma e Chiloma. Valdemir achou muito bonito os nomes das três meninas, porém a sua mulher é muito religiosa e, por isso, resolveu acrescentar o Hilquia, que é um nome bíblico: Chislihilquia Chelly Ferreira Lopes, 18 anos, Chelmahilquia Chiloma, 27 anos, e Charahilquia Chelma, de 30 anos.

Os internautas, por sua vez, deram muitas risadas sobre esse assunto e alguns até fizeram piadas com os nomes escolhidos pelo pedreiro. Parece que esse assunto viralizou depois que a Chislihilquia mandou um vídeo para a campanha da Globo, 'O Brasil que eu quero', onde ela e um rapaz falam sobre os problemas da sua cidade. "Os filhos deveriam usar o nome que os pais deram provisoriamente, depois ter a opção de trocar sem burocracia", comentou uma internauta.

"Com 18 anos elas podem trocar o nome, segundo o Art. 56 da Lei de Registros Públicos. O ruim é ter que conviver até lá com a zoação", informou um internauta. "Pelo menos o pessoal vai ter dificuldade até pra zoar, porque os nomes são de outro mundo", disse outro internauta. "Se eu recebesse um nome absurdo desses, no primeiro dia dos meus 18 anos eu já teria feito o pedido de mudança. Eu sequer consigo ler os nomes delas", finalizou outro ao falar sobre o tema.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Curiosidades O Outro Lado Do Paraíso

Como podemos notar, as pessoas acreditam que o melhor a fazer é mudar o nome delas mas isso não é problema para as moças, que não se sentem incomodadas com isso. A mai nova das três, Chislihilquia, contou que não se sente mal com o seu nome e que tem muito orgulho da escolha de seus pais. Contou também que as pessoas tem dificuldades em escrever ou até mesmo falar o seu nome e sempre pedem para soletrar.

Valdemir disse que as suas duas primeiras filhas foram muito fáceis de registrar, mas a última o cartório não queria aceitar. O pedreiro então argumentou que se a sua filha quisesse mudar quando crescesse poderia fazer isso e assim eles aceitaram.

Lei sobre mudança de nome

Resumidamente, o pai não pode colocar em um filho um nome que o exponha ao ridículo até porque isso pode gerar problemas psicológicos na criança no futuro devido ao bullyng.

Caso o filho não gostar do seu nome, ele pode mudar depois de completar 18 anos de idade desde que não prejudique os sobrenomes. Os nomes que tem erros de acento ou de português poderão ser alterados também de acordo com o artigo 109.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo