O pronunciamento do presidente Michel Temer sobre a greve de caminhoneiros gerou bastante controvérsia. Isso porque ele prometeu usar a força bruta se necessário para tirar os caminhoneiros das estradas e acabar com a greve.

A paralisação tem parado não somente as estradas, como todo o país. Isso porque os caminhoneiros são responsáveis por transportar combustíveis e diversos outros produtos, causando consequências imediatas para a população brasileira.

Michel Temer critica greve dos caminhoneiros

O pronunciamento de Temer sobre os caminhoneiros deu o que falar. Feito na manhã dessa sexta-feira (25), o presidente garantiu, usar se necessário, as Forças Armadas, sendo elas Marinha, Exército e Aeronáutica, com o objetivo de obrigar os caminhoneiros que estão em greve a encerrarem as manifestações por todo o país.

Segundo ele, essa medida na realidade tem como objetivo ‘’combater os efeitos graves do desabastecimento causado diretamente pela paralisação.’’ Em muitos estados do Brasil, os postos de combustíveis simplesmente pararam de funcionar por não ter mais gasolina, etanol e diesel em seus estoques.

Temer também autorizou o uso da Polícia Federal e aconselhou que todos os governadores fizessem o mesmo em todos os estados. Ainda em seu pronunciamento, o presidente reconheceu a importância de todos os caminhoneiros para o desenvolvimento do país. No entanto, após dialogar, o Governo iriam usar a autoridade em favor do povo brasileiro.

O fato chamou a atenção, já que esse era o quinto dia da greve dos caminhoneiros em todo o país.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Governo Corrupção

O presidente afirmou ter atendido 12 reivindicações feitas pelos caminhoneiros, sempre ressaltando que tentou de todas as formas o diálogo antes de tentar alguma medida mais drástica.

Após o pronunciamento, boa parte da população brasileira mostrou indignação, ficando do lado dos caminhoneiros e também pediram, através de aplicativos, como WhatsApp, que o Exército também entrasse de greve.

Na manhã deste sábado (26), Temer se reuniu com ministros para discutirem e também monitorarem a greve.

Vale lembrar que, além da queda do preço do óleo diesel, os caminhoneiros também querem a redução dos impostos para esse combustível. O Brasil figura entre os que tem a maior taxa de impostos do mundo.

Isso tem chamado a atenção da população, que de alguma maneira está se cansando e resolveu mostrar sua indignação através de protestos e greves, como foi o caso dessa paralisação feita por caminhoneiros de todo o país.

Veja mais

Cunhada de Temer ostenta tanque de combustível cheio e gera polêmica

Ator famoso é condenado a 95 anos de prisão por abuso sexual

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo