Em um momento de desabafo em seu canal no YouTube, nessa quinta-feira (24), o pastor Silas Malafaia, líder do Ministério Vitória em Cristo, ligado à Assembleia de Deus, criticou políticos e alguns caminhoneiros que participam da greve e paralisação geral da categoria por causa da crescente alta no preço dos combustíveis em todo o Brasil.

De acordo com o religioso, que sempre se envolve em polêmicas principalmente nas redes sociais, a paralisação é culpa de uma Política que há anos beneficia os caminhoneiros e desfavorece o sistema ferroviário.

Silas diz que, se o País ainda tivesse utilizando suas vias férreas adequadamente, hoje todas as suas regiões não estariam sofrendo. Vale lembrar que, depois do impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT), houve a cerimônia de posse do novo presidente Michel Temer (MDB), em 2016.

O fato curioso é que Silas Malafaia participou do evento e, inclusive, fez oração para o novo presidente. O religioso foi um dos apoiadores da saída do PT do governo e até disse que precisava haver uma mudança drástica na política brasileira.

Por isso, estava do lado dos políticos que apoiaram o impeachment e que queriam Michel Temer na presidência. Assista ao vídeo:

'Prender os caminhoneiros porque eles estão fazendo um absurdo', diz Malafaia

“Sabe por que nós estamos nas mãos de caminhoneiros? Porque isso é uma política errada de anos e anos que acabaram com o transporte ferroviário no Brasil”, disse o pastor. Ele comenta que atualmente os caminhoneiros estão conseguindo parar todos os setores da sociedade brasileira porque os empresários e o povo em geral dependem desse serviço para seguirem com a vida cotidiana.

Porém, Malafaia conta que caso o Brasil ainda tivesse um sistema ferroviário ativo e importante, nada disse que a população está vendo hoje estaria acontecendo. “Tem uma meia dúzia [de caminhoneiros] esculhambando com tudo, com a nação. Tinha que também prender os caminhões desses caras, porque isso é um absurdo, isso é uma afronta”, afirma Silas em seu vídeo.

O fato é que o governo de Michel Temer já tomou uma atitude e autorizou a prisão dos caminhoneiros que estiverem obstruindo a passagem nas vias federais e, consequentemente, a apreensão de seus caminhões.

Tal atitude revolta os caminhoneiros, que já disseram que não vão abandonar a greve até que o governo diminua consideravelmente os preços dos combustíveis nos postos de abastecimento.

A greve dos caminhoneiros neste sábado (26) no sexto dia e não há previsão para o término. O fato é que já vários setores da sociedade brasileira começaram a sofrer com a falta de muitos produtos por causa da greve.

Siga a página Michel Temer
Seguir
Siga a página Política
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!