Considerada uma das bebidas preferidas dos brasileiros, em se tratando de consumo próprio, o café fica atrás apenas da água. Atualmente, a bebida tem sido bastante solicitada principalmente por um grupo de 68 deputados, que são considerados exigentes na hora de provar o café.

Alguns andam insatisfeitos com a simplicidade da água fervida misturada junto ao pó. Com isso, esses políticos preferem gastar o dinheiro público alugando máquinas de café expresso.

Na ocasião, três legendas partidárias (DEM, Solidariedade e Podemos) fornecem aos seus deputados a opção de tomar um café expresso contendo grãos do tipo longo ou curto moídos na hora.

Desperdício de dinheiro público

Calcula-se que desde 2015, até meados de 2018, já foram gastos em torno de R$ 600 mil em aluguel de máquinas de café expresso que, além do café tradicional, oferecem a opção de cappuccino e mocaccino com chocolate quente.

O dinheiro gasto no aluguel é o da verba destinada a cobrir os gastos dos congressistas com despesas originadas durante o seu mandato.

A verba também cobre gastos com aluguel de escritórios, passagens aéreas, além dos gastos com hospedagem e combustível. De acordo com a legislação brasileira, a prática não é considerada ilegal.

O valor equivale ao consumo de 48 toneladas de pó quando comparado ao que toda a Câmara gastará apenas este ano com a compra de 53,5 toneladas de café.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Governo

Essa quantia daria para fornecer café para mais de 16 mil funcionários da Câmara, incluindo jornalistas e os milhares de visitantes que visitam o congresso diariamente.

O serviço é oferecido pela empresa Odebrecht Café, mas, apesar do nome, a empresa não possui nenhum vínculo com a construtora envolvida nos esquemas de corrupção e pertence a outro ramo da família.

Parlamentares que mais gastam com as máquinas de café

Ainda de acordo com as informações, o deputado Aluísio Mendes (Podemos-MA) teria gasto em torno de R$ 23.000,00 em aluguel de máquinas de café expresso desde o início de seu mandato.

O site de notícias 'Congresso em Foco' tentou entrevistar o deputado, mas ele não respondeu às ligações.

Outro parlamentar que gosta de um café expresso é o deputado Nilton Capixaba (PTB-RO). Segundo informações, o político gasta em torno de R$ 900,00 por mês apenas com o aluguel das máquinas de café. Entre os 71 deputados, ele é o que mais gasta verba pública com esse tipo de serviço. Seus colegas gastam em torno de R$ 600,00 por mês com esse tipo de aluguel.

Ao ser questionado por uma equipe de reportagem, o deputado Milton Capixaba afirmou que o aluguel gasto oferece a combinação de diversas bebidas, que permitem um atendimento de qualidade às pessoas que visitam o seu gabinete. Isso inclui prefeitos, vereadores e demais pessoas. De acordo com o cálculo realizado, constatou-se que cada café expresso custa aos cofres públicos o equivalente a R$ 2,39 por dia.

Desse valor total R$ 575, 8 mil foram gastos na legislatura pelos deputados e os outros R$ 22,3 milhões pelas três lideranças partidárias.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo