A jovem Vânia Basílio Rocha, 21 anos, foi condenada em 2015 a 8 anos e 4 meses de prisão. A jovem foi denunciada, julgada e condenada pelo crime de homicídio qualificado, por matar o ex-namorado a facadas durante o ato sexual.

O crime foi praticado no interior da casa da vítima, localizada na cidade de Vilhena, Rondônia. Antes do assassinato, a jovem deixou um post no Facebook, afirmando não ter sido uma má namorada.

O crime chocou os moradores da cidade do estado rondoniense, entretanto o comportamento da jovem após sua prisão foi tão assustador quanto a atitude homicida.

Durante a confissão do crime, a jovem, indagada por que havia matado o namorado, respondeu de forma direta que queria matar alguém.

Um laudo foi realizado meses depois da prisão e constatou que a jovem é sociopata - pessoa com transtorno de personalidade antissocial. Vânia foi levada ao Tribunal do Júri em setembro de 2016, condenada, fechou o semblante mostrando toda fúria, após ouvir a sentença judicial que determinou sua prisão em regime fechado.

A condenada cumpre sentença no presidiário feminino de Vilhena-RO. Em setembro de 2017, ela foi agredida por uma detenta e registrou boletim de ocorrência.

Novo exame médico determinará se Vânia pode voltar ao convívio social

De acordo com a Lei de Execução Penal ,para progredir para o semiaberto, o condenado precisa cumprir um sexto de sua pena e ter bom comportamento atestado pelo diretor do presídio.

Vânia está presa desde 2015 e já cumpriu 2/5 da pena no regime fechado, pouco mais de 3 anos. Porém, Vânia tem bom comportamento, além de realizar atividades de remição de pena, como estudo e artesanato.

Contudo, como a jovem já foi considerada sociopata pelo laudo realizado três anos atrás, ela deverá passar por nova avaliação médica para verificar a sua saúde mental e grau de periculosidade.

Vai ficar por fora de assuntos como este?
Clique no botão abaixo para se manter atualizado sobre as notícias que você não pode perder, assim que elas acontecem.
Polícia Relacionamento

Esse exame será determinante para comprovar se Vânia pode voltar às ruas.

No regime semiaberto, o condenado ganha o direito de trabalhar e fazer cursos fora da prisão durante o dia, mas deve retornar à unidade penitenciária à noite. Além disso, o detento tem o benefício de reduzir o tempo de pena através do trabalho: um dia é reduzido a cada três dias trabalhados, bem como a cada 12 horas de estudo, terá abatido um dia de prisão. O prática da leitura e estudo também são premiados, a cada resenha de livro feita, a pena é reduzida em quatro dias.

O juiz Adriano Lima Toldo determinou a regressão da pena do regime fechado para o regime semiaberto em junho passado, vez que a Vânia preenche o requisito temporal para a obtenção do benefício. O Ministério Público de Rondônia emitiu parecer favorável para a concessão do benefício.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo