As comunidades indígenas brasileiras têm visto uma onda de imigrantes que buscam refúgio em sua aldeias. A má situação Política da Venezuela faz com que os venezuelanos fujam do país e venham para o Brasil em busca de uma melhor situação.

Com um grande número de imigrantes entrando nas cidades fronteiriças, o número de problemas nessa região também aumentou. Um deles, por exemplo, foi a hostilização que o povo venezuelano enfrentou por parte de grupos anti-imigrantes na cidade de Pacairama, após um caso de roubo revoltar parte da população.

Devido a isso, venezuelanos estão fugindo das cidades e indo para o interior do estado ou para comunidades indígenas. E as comunidades indígenas, estão enfrentando o mesmo problema das cidades: A não capacidade de conseguir atender a todos.

As comunidades mais próximas ficam na beira da BR-174, rodovia que liga Boa Vista até a fronteira com a Venezuela. Segundo líderes indígenas, em entrevista à BBC News, há indígenas e não indígenas que chegam nestas aldeias.

O grande temor é a disseminação de doenças. Desde o começo do ano, por exemplo, já foram registrados 200 casos de sarampo em Roraima (a maioria deles entre venezuelanos).

O deslocamento de indígenas pelas fronteiras é algo comum desde que as limitações entre os países foram impostas. No entanto, em várias partes do continente as fronteiras dividiram aldeias que mantinham a aliança.

Muitos imigrantes que chegam estão vivendo de favores.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Governo Política

A maioria deles negocia em como ajudar em tarefas domésticas e coletivas em busca de algum lugar. Indígenas temem que mesmo após o final da crise, muitos deles não vão voltar para sua terra natal.

Crise faz com que venezuelanos se arrisquem

A crise na Venezuela é um dos assuntos mundiais mais comentados. Com a inflação de 1.000% até o final de 2018, prevista pelo Fundo Monetário Internacional, muitos salários no país ficaram defasados.

Com isso, venezuelanos estão se submetendo a empregos em situações precárias, como por exemplo o garimpo no esgoto da cidade de Caracas.

O rio que corta toda a cidade, o rio Guaire, tem todos os dias o esgoto de mais de 600 mil casas despejadas. Não há qualquer tipo de saneamento e centenas de pessoas se arriscam nas margens para garimpar ouro. No entanto, muitos afirmam que garimpa no rio dá mais dinheiro do que trabalhar em postos de trabalho.

Os garimpeiros tentam a sorte para encontrar ouro. Eles vendem todo o ouro coletado na cidade de Capitólio. Com isso, essa gente pode dar sustento às suas famílias. No entanto, o rio contaminado faz com que eles fiquem vulneráveis às doenças, como hepatite A, leptospirose e até mesmo doenças de pele.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo