Há um ano, a jovem Andressa Silva Gouveia, de apenas 22 anos, morreu após ser atingida por uma balada perdida [VIDEO]. Durante uma briga entre um casal, Zilma Rodrigues do Amaral sacou uma arma e atirou contra o companheiro, mas acabou atingido Andressa, que estava sentada em uma cadeira. Ela foi socorrida e levada a um pronto-socorro da cidade, mas não resistiu ao ferimento.

O caso aconteceu em 29 de outubro, na cidade de Mongaguá, no litoral de São Paulo, e desde então a autora do disparo estava foragida. A mulher apontada por ter feito o disparo acidental pode ter se esquivado das autoridades, mas não da família da jovem, que passou a monitorar sua rotina nas redes sociais, até que na última sexta-feira (19), ao ver que ela havia feito um check-in, em um restaurante de São Caetano do Sul, no ABC, avisaram a Polícia, que foi até o local e prendeu a mulher [VIDEO].

Busca sem descanso pela acusada

Em entrevista dada ao portal G1, a família de Andressa contou que, desde a morte da jovem, vem monitorando os passos de Zilma nas redes sociais. “Desde quando a minha filha morreu, eu vivo 24 horas procurando essa mulher”, contou Eunice Maria da Silva, mãe de Andressa. Ela contou ainda que em outras ocasiões em que conseguiu localizar o paradeiro da mulher, ao chegar no local ela já não mais estava lá. Desta vez, a localização contou um uma involuntária “ajuda” da filha da suspeita, que postou no Instagram que estava em um restaurante.

Eunice contou que após ser avisada do fato pelo marido, foi até o local mas chegando lá o estabelecimento já havia fechado. Ela explicou a situação ao gerente, inclusive mostrando uma foto da suspeita. O gerente afirmou então que a mulher ainda estava lá dentro e que ela poderia chamar a polícia, que prendeu Zilma por homicídio.

Neste sábado (20), ela passou por uma audiência de custódia.

Como foi o caso

Andressa havia ido junto com um casal de amigos passar o final de semana em uma casa alugada em Mongaguá. O grupo estava reunido perto da piscina, quando o casal iniciou uma briga e Zilma pegou a arma do companheiro, Alexandre Antonio dos Santos, atirou contra ele, mas acertou a jovem, que cuidava de uma das filhas da acusada. Uma das pessoas que estavam na casa foi para cima da acusada e conseguiu lhe tirar a arma.

Após o disparo, a mulher saiu do local junto do marido, com quem momentos antes brigava, e os três filhos. A arma desapareceu.