O nascimento de uma criança é sempre esperado com grande ansiedade pelos pais. O maior desejo da futura mamãe é que tudo transcorra bem durante o parto. No entanto, para uma mãe paulista as coisas não correram muito bem durante o nascimento da sua filha.

A Polícia está investigando o caso da recém-nascida que precisou levar 25 pontos em sua cabeça, após ter sido cortada durante o nascimento. O fato aconteceu na Santa Casa de Araçatuba, Estado de São Paulo. Os familiares do bebê registraram um boletim de ocorrência acusando a instituição de lesão corporal. Segundo os parentes da criança, o ferimento foi provocado por um bisturi.

De acordo com o que foi registrado no boletim de ocorrência, a mãe deu entrada na unidade após apresentar uma grande perda de líquido amniótico. A equipe que prestou atendimento a mulher, optou por realizar a cesárea. O fato ocorreu no dia 27 de agosto, porém, só foi apresentado à polícia no último dia 19 de outubro.

Assim que a bebê foi retirada de dentro da barriga da mãe, o pai percebeu que tinha um corte no lado direito da cabecinha da menina. Ainda segundo o registro de ocorrência, o corte teria ocorrido quando o médico usou o bisturi para fazer o corte na barriga da mãe. A menina foi encaminhada para uma cirurgiã pediátrica.

A especialista fez o atendimento da criança e realizou a sutura.

A menina precisou levar 25 pontos na cabeça. Além disso, a criança ficou internada por um período de seis dias na UTI (Unidade de Terapia Intensiva). Os parentes da menina estiveram na ouvidoria da Santa Casa e fizeram uma reclamação. A polícia orientou para que eles ficassem atentos ao prazo de seis meses para realizar uma representação criminal.

Hospital divulga nota de esclarecimento

Uma nota divulgada nesta segunda-feira (22), a Santa Casa disse que o bebê nasceu por uma cesariana, sendo necessário o uso de fórceps. A instituição ainda afirmou que o corte no couro cabeludo da criança foi acidental e aconteceu durante o procedimento cirúrgico ao qual a mãe foi submetida.

Ainda conforme a nota, o procedimento usando fórceps acontece quando existe risco de vida tanto para a gestante quanto para o bebê. A posição em que a criança estava não permitia que ela fosse retirada manualmente. Uma apuração sobre o fato chegou a ser realizada pela unidade.

Ficou constatado que foi um acidente. No dia da fatalidade, a equipe médica realizou uma tomografia para verificar se havia ocorrido uma lesão grave. No entanto, o exame comprovou que o corte foi apenas superficial, não provocando nenhuma sequela na garotinha.

Durante uma entrevista dos familiares a uma televisão local, eles afirmaram que ainda estão abalados com tudo que aconteceu, mas que apesar de tudo a filha passa bem.

Siga a página Polícia
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!