Môa do Catendê, mestre de capoeira, negro, foi assassinado de forma brutal com 12 facadas na madrugada desta segunda-feira (8 de outubro), após dizer que votou no candidato à Presidência Fernando Hadadd, do Partidos dos Trabalhadores (PT).

O crime aconteceu em um bar de Salvador (BA), depois de uma discussão que teria sido originada pelo autor do crime, discursando gritos em favor do candidato a Presidência Jair Bolsonaro, do PSL.

Publicidade
Publicidade

Segundo o assessorado de imprensa da Secretaria da Segurança Pública do Estado da Bahia (SSP-BA) que apurou o caso, a vítima teria dito que todos ali preferiam o PT, logo em seguida foi esfaqueado.

Tudo aconteceu em torno de 2h40, nesta segunda-feira, em um bairro chamado Engenho Velho de Brotas. Atacado pelas costas, o mestre de capoeira, conhecido como Môa do Katendê, foi acometido por 12 facadas, segundo apurou a perícia (SPP-BA).

Segundo foi informado, o capoeirista ainda teria sido defendido por um amigo, que também acabou ferido. O agressor não conhecia a vítima antes do ocorrido.

Môa, artista, negro, morto por um seguidor de Bolsonaro
Môa, artista, negro, morto por um seguidor de Bolsonaro

Repercussão nacional

A morte do baiano está repercutindo em todas as redes sociais, e o assunto ocupa primeiros nos Trending Topics nacionais do Twitter. Onde muitas pessoas espalham mensagens de lamento e dor pelo ataque bárbaro sofrido por Môa, de 63 anos de idade.

"Mestre Moa do Kantendê é a primeira vítima do fascismo que se instala com a ascensão e possível vitória do Bolsonaro.", comentou um jovem.

"Meu Deus do céu. Mestre Moa do Katende foi assassinado.

Publicidade

Por se declarar contrário ao Jair (Bolsonaro). Que tristeza. Que absurdo! Onde isso vai parar? Tive a oportunidade de conhecer o mestre, devido a um projeto musical com ele do qual eu participava. Tô profundamente triste com a notícia.", lamentou o cantor MC Hashid.

Candidata à vice-presidência de Fernando Haddad, pelo Partido dos Trabalhadores, Manuela D'Ávila também manifestou suas condolências ao ocorrido:

"O quadro da intolerância e do ódio: Mestre Moa foi morto em Salvador com 12 facadas por um declarado eleitor de Bolsonaro.

Foi morto porque pensava diferente de quem o assassinou. Era defensor da cultura e dos negros e negras e lutava por qualidade de vida para quem mais precisava."

Uma seguidora totalmente indignada com a morte de Môa diz que os negros estão em perigo somente por serem negros:

"Mestre Moa, negro, morto por seguidor do Bolsonaro. E vocês ainda não enxergam que nós negros e negras estamos em risco de vida só por questão da nossa cor. Meu Deus, isso é horrível.

Publicidade

Luz para família do Mestre Moa. Meus sentimentos.", disse a jovem.

Leia tudo