A mãe de Eliza Samudio, Sônia de Fátima Marcelo da Silva Moura, 52 anos, revelou em uma reportagem do UOL várias perguntas que seu netinho, agora com 8 anos, tem feito frequentemente a ela. "Como minha mãe morreu? Como era a voz dela? Onde ela está enterrada?", questiona o menino.

Eliza foi morta por asfixia e esganadura no ano de 2010. Seu corpo foi esquartejado e até hoje não se tem quase informações se resta algum vestígio dela enterrado em algum lugar.

O ex-namorado dela, o goleiro Bruno Fernandes, foi condenado a mais de 22 anos de prisão. Entretanto, seus advogados pediram a progressão de pena para o regime semiaberto e, com isso, no dia 13 de outubro, ele pode deixar a cadeia.

Isso tem levado dona Sônia a viver grandes pesadelos e medo.

De acordo com ela, existe um receio em relação à vida dela e do neto. Ela sabe que ele pode ter a oportunidade de começar a sua vida, contudo, Eliza nunca terá essa chance. Ela lembrou que mataram a sua filha sem nenhuma piedade e acabaram com todos os sonhos dela. Aos prantos, Sônia falou que largaram seu netinho numa favela e ele só não morreu porque eles não tiveram coragem disso.

Segundo Sonia, até hoje seu neto não recebe nenhum auxílio financeiro e as despesas da casa são pagas com o dinheiro do trabalho do seu marido, que é tapeceiro.

Conversas com Bruninho

A criança de 8 anos ficou sabendo recentemente que o pai era o responsável [VIDEO] pela morte de sua mãe. A avó falou que ele já sabe de tudo. Ela sempre costuma conversar com ele e explicar as coisas.

Segundo a avó, começaram a vir várias perguntas sobre como tudo aconteceu. O garoto quis saber como que a mãe dele tinha morrido, onde ela estava enterrada. Sonia e o neto passam até hoje por tratamento.

Uma das perguntas dele é por que o pai tentou matá-lo [VIDEO] se ele era apenas um bebê.

Trabalhos de Bruno

Para conseguir uma progressão de pena e passar para o regime domiciliar, Bruno trabalhou como cozinheiro na cadeia. Segundo o Tribunal de Justiça de Minas Gerais, o goleiro prestou vários serviços e isso colaborou parta que sua pena fosse amenizada.

O seu antigo braço direito, Luiz Henrique Ferreira Romão, conhecido como Macarrão, conseguiu a liberdade condicional.

O juiz de Varginha, Tarcísio Moreira, atualizou a pena de Bruno e já está quase certo do dia 13 de outubro ele ir para o semiaberto. O Ministério Público vai antes avaliar a ratificação do juiz.