Paloma Botelho de Vasconcelos, de 21 anos, chocou a cidade de Petrópolis, no Rio de Janeiro, suspeita de assassinar a própria mãe, Dircilene Botelho Garcia, de 51 anos, com uma injeção de ar na veia. O crime foi descoberto graças a câmeras instaladas no quarto da vítima que teriam registrado o exato momento em que a jovem agiu. Gabriel Molter Neves, de 26 anos, namorado de Paloma, também é suspeito de envolvimento na morte da comerciante. Após confessar o assassinato [VIDEO], a jovem contou em entrevista ao jornal Tribuna de Petrópolis que se inspirou em uma cena de Segundo Sol, onde Laureta, personagem de Adriana Esteves, mata seu capanga usando uma seringa de ar.

Entenda o caso

O que poderia ter sido um "crime perfeito" acabou vindo à tona após câmeras registrarem Paloma matando a própria mãe. A jovem não sabia, mas o marido de Dircilene havia instalado os dispositivos de segurança no quarto da comerciante após a própria se queixar do sumiço de objetos de valor. E graças às imagens que foram captadas foi possível desvendar que a morte de Dircilene foi provocada pela própria filha.

Em entrevista a um jornal da cidade, a jovem afirmou que teve a ideia após assistir à personagem Laureta [VIDEO] matando seu comparsa, com o mesmo artifício, na novela Segundo Sol, da Rede Globo, e ainda alegou que foi induzida pelo namorado a cometer o crime. Segundo Paloma, o rapaz teria a convencido de que só poderiam ficar juntos com a morte da comerciante.

Assim como Paloma, Gabriel teve o mandado de prisão decretado e em depoimento colocou a culpa na namorada, afirmando que teria sido ela que planejou o assassinato de Dircilene.

Relação difícil com a mãe

Ainda em entrevista, Paloma afirmou que a relação com a mãe era muito difícil e que desde pequena era agredida por Dircilene. A jovem contou que sofria humilhações na infância, que a mãe chegava a esconder a comida para deixá-la com fome e ainda teria ido para a escola, por diversas vezes, machucada por Dircilene.

Essa não foi a primeira vez que Paloma teria tentado matar a mãe, na delegacia a acusada disse em depoimento que já tentou envenenar a bebida de Dircilene, mas a mãe teria notado um gosto estranho e não bebeu o preparado que seria fatal. Com os planos frustrados, Paloma contou que resolveu usar a seringa e imitar o crime praticado na novela global: "Pensei que poderia ser a melhor forma", afirmou.

O crime

Em depoimento, Paloma deu detalhes sobre o dia do crime e contou que, na ocasião, o namorado teria entrado escondido na casa e aguardado o seu sinal.

Quando Dircilene saiu do banho, a filho mentiu dizendo que lhe faria uma massagem para que Gabriel pudesse entrar e tentar asfixiar a vítima com um pano embebido em formol. A primeira tentativa não teria dado certo e o casal colocou sacolas no rosto da vítima para que então ela pudesse parar de respirar.

Com a mãe desfalecida, Paloma teria ido até seu quarto, buscou a seringa e aplicou ar na veia da vítima. A acusada ainda informou que checou os batimentos cardíacos da mãe para se certificar de que ela havia morrido e que em seguida ainda lavou seu rosto, a vestiu e a maquiou para que a morte parecesse natural.

Paloma e Gabriel ainda chegaram a ir ao velório e enterro da vítima. Por conta do período eleitoral, a acusada não pôde ser detida, mas deve se entregar à Polícia nesta quarta-feira (10), conforme informou o pai e advogado de Paloma.

Segundo as investigações, o motivo para o crime seria uma herança.