Leonardo Oraveis, de 20 anos de idade, está sendo acusado de matar a mãe Luzia Oraveis, de 53, com golpes de faca enquanto a vítima ainda dormia. Em depoimento à polícia, o universitário alegou sofrer de depressão e disse que cometeu o crime para que a mãe não sofresse com a sua morte. Segundo o boletim de ocorrência, Leonardo pretendia se suicidar e não queria que Luzia carregasse o peso de sua morte. O crime aconteceu no bairro Jardim, na cidade de Itápolis em São Paulo, na última madrugada de domingo (14).

Gritos de socorro chamaram a atenção de vizinhos

Segundo o site G1, embasado no boletim de ocorrência, Leonardo, encapuzado, teria entrado no quarto da mãe que ainda dormia e levava consigo diversas facas nas mãos.

O universitário teria dado o primeiro golpe no tórax de Luzia, o que fez com que a vítima acordasse e ainda tentasse lutar pela vida aos gritos de socorro que foram ouvidos pelos vizinhos.

Ainda de acordo com o B.O, a Polícia chegou ao local logo após ser acionada por vizinhos da vítima e precisou arrombar a porta do imóvel. No interior da residência, o corpo de Luzia foi encontrado caído no chão de seu quarto, com marcas de 31 golpes de faca. A senhora chegou a ser socorrida, mas já chegou ao hospital sem vida, enquanto o acusado fugiu.

Leonardo Oraveis foi localizado horas depois no telhado de uma residência, nas proximidades de onde morava com a mãe, usando apenas cueca, quando foi detido pelos militares. O acusado foi encaminhado para a delegacia de Ibitinga, em São Paulo, onde passará por audiência de custódia.

A polícia que investiga o caso localizou as facas usadas por Leonardo Oraveis para assassinar a mãe e debaixo da cama do acusado ainda foram encontrados 287 pinos de cocaína que estariam sendo guardados pelo universitário para traficantes de drogas na região.

O corpo de Luzia Oraveis foi encaminhado para o Instituto Médico Legal (IML) de Jaboticabal (SP) e depois seguiu para o cemitério da cidade, onde foi enterrado na manhã desta segunda-feira (15).

Os crime de matricídio

Os crimes de matricídio vêm chamando a atenção na imprensa, como aconteceu em Petrópolis, no Rio de Janeiro onde a filha acabou matando a própria mãe com uma injeção de ar injetada em sua veia, o que acabou causando uma embolia pulmonar na vítima. Segundo investigações, Paloma Botelho de Vasconcelos [VIDEO]teve a ajuda do namorado Gabriel Molter Neves para tirar a vida de Dircilene Botelho Garcia, motivada por uma herança.

Assim como Leonardo Oraveis, acusado de matar a mãe a facadas, Paloma Botelho segue detida, em poder da Justiça.