Na terça-feira (23) o presidente chinês Xi Jinping inaugurou a maior obra do mundo, uma ponte gigantesca de 55 quilômetros de comprimento, que é equivalente a 20 vezes a Golden Gate em São Francisco.

A maior ponte marítima do Mundo, permite graças as ilhas artificiais e as enormes estruturas rodoviárias, as ligações a ilha de Lantau, em Hong Kong, a antiga colônia portuguesa de Macau, a oeste, a cidade de Zhuhai, na província de Cantão.

Oficialmente a ponte foi aberta ao público nessa quarta-feira (24), um dia após a entrega e inauguração, deve atender mais de 60 milhões de moradores da região.

Publicidade
Publicidade

A obra dessa gigantesca ponte começou em 2009 estava previsto o término para 2016. Ocorreu milhares de atrasos e demorou 9 anos para ficar pronta, marcada por casos de corrupção e superfaturamento, vários críticos reclamaram dos altos custos, que poderiam ser investidos em outros meios mais necessários e também da morte de pelo menos 18 operários e diversos feridos segundo a BBC.

A obra faraônica, custou mais de US$ 20 bilhões (R$ 74 bilhões), suas diversas curvas foram desenhadas para parecer uma serpente sobre o mar do sul da China, vista do alto.

Essa mega estrutura também fica na rota dos tufões por isso as três pontes que formam a estrutura foram projetadas para suporta ventos de até 340km/h, acompanha também na estrutura um túnel submarino que liga duas ilhas artificiais, isso permite que o tráfego da ponte não atrapalhe a rota de comércio marítimo.

Restrições

A estrutura conta também com Tecnologia de ponta, que promete ser usada também para garantir a segurança dos usuários, como o uso de câmeras capazes de detectar até sinais de cansaço dos motoristas durante a longa travessia, se um condutor bocejar por pelo menos 3 vezes em um intervalo de 20 segundos, um alarme é acionado alertando as autoridades, além de sensores de pressão e ritmo cardíaco dos motoristas.

Publicidade

Nem todos vão poder usar a ponte, para quem tem carteira de motorista emitida em Hong Kong será necessário uma autorização especial ou então o jeito será pegar um ônibus.

Visão política

Tudo isso fica em torno da vontade que a China tem em aumentar o desenvolvimento e o poder político em regiões estratégicas, no intuito de superar os Estados Unidos como uma potência em tecnologia.Essa ponte é parte do plano de desenvolvimento de Pequin para integrar as regiões autônomas chinesas a 11 cidades, formando uma megalópole no sul da província de Cantão que é a mais rica do país.

Leia tudo