Gerivaldo Andrade do Espírito Santo, 39 anos, acabou sendo preso pela Polícia suspeito de estuprar uma criança de apenas oito anos. Tudo só veio à tona após a própria criança falar aos pais que "nasceria um bebê" da sua barriga.

O garoto realizou vários exames no Instituto Médico Legal (IML) e o crime foi comprovado. A Delegacia da Defesa da Mulher da cidade de Cubatão está cuidando do caso.

De acordo com as declarações da delegada Mayla Ferreira Hadid, a família estava reunida no domingo (7), dia das eleições e, inesperadamente, ouviram o menino dizer que da sua barriga sairia um bebê. Todos ficaram surpresos com a fala do menino e estranharam.

Em seguida, decidiram conversar com ele para entender o motivo de dizer aquilo. Segundo as informações, a criança contou aos pais tudo o que tinha acontecido no dia anterior.

O que se sabe até agora é que o estupro teria acontecido numa casa vizinha onde o menino mora. O suposto abusador trabalha como cuidador de idosos e, nessa residência, vive um conhecido da família.

Prisão

A Polícia Civil pediu para a 1ª Vara Criminal de Cubatão autorizar a busca e apreensão na casa de Gerivaldo. Foi expedida uma ordem de prisão temporária até que todos os fatos sejam apurados. Nesta quinta (11), foi divulgada a operação realizada pelos agentes.

A delegada afirmou que Gerivaldo foi encontrado no seu lugar de trabalho, em uma loja que fica em São Vicente, cidade vizinha.

Ela comentou que ele confessou o crime e não resistiu à prisão. Ele não tinha nenhuma passagem pela polícia.

Na ação de busca e apreensão realizada pela polícia foram encontrados na casa do estoquista alguns objetos que serão levados para análise. A polícia suspeita de que mais crianças podem ter sido vítimas dele.

Estupro coletivo

Um outro caso também chocou várias pessoas.

Um menino de 12 anos acabou sendo estuprado por cinco pessoas. Eles chegaram a filmar o garoto e o vídeo foi divulgado pelo WhatsApp.

O menino estava num acolhimento institucional de Santa Maria, no Distrito Federal, e retornou para a casa da mãe. O menino morava com a avó, mas em decorrência das drogas teve que ser levado para esse acolhimento. O garoto está muito abalado e traumatizado.

Ele chegou a ser amordaçado e deixado seminu.

Ele foi agredido várias vezes. Entre os agressores estão: uma mulher e três menores. A mulher foi quem teria divulgado as imagens.

Siga a página Polícia
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!