Na última quarta-feira (17) um homem foi preso suspeito de ter violentado e engravidado a própria enteada que tem apenas 12 anos de idade. Durante o depoimento o rapaz se defendeu afirmando que a gravidez da garotinha aconteceu porque ela teria supostamente usado uma toalha que estava suja com o sêmen dele.

Na manhã dessa quinta-feira (18) o padrasto da menina foi preso em Santa Rita, na Grande João Pessoa. A prisão dele aconteceu logo após a denúncia da vítima na Delegacia da Mulher de Santa Rita.

Foi a delegada Amindonzelle Oliveira a responsável por colher o depoimento do acusado. Ele havia dito para ela que estava se auto satisfazendo dentro do banheiro e sempre fazia uso de uma toalha na hora da ejaculação.

Ainda em depoimento à delegada, o rapaz negou que tenha mantido qualquer contato com a garota de 12 anos. Ele insiste na ideia de que a gravidez aconteceu pelo fato da garota ter usado a toalha suja.

Entretanto, a delega afirmou que cientificamente é comprovado a impossibilidade de ela ter engravidado dessa forma. Para a delegada a única maneira da gravidez ter acontecido é através de um contato mais próximo entre o padrasto e a enteada.

Embora ele não tenha confirmado que existia relação entre os dois a delegada informou que o acusado deixou escapar algumas informações que a fizeram entender de que realmente existia uma grande intimidade entre ele e a garota. Durante o depoimento, o homem contou para Amindonzelle que a garota dormia na mesma cama que ele e que por muitas vezes os dois ficavam algum tempo sozinhos.

O rapaz chegou a afirmar que a menina sentia algo por ele. Amindonzelle ainda afirmou que desde que a garotinha havia menstruado pela primeira vez há dois anos começou a acontecer essa situação.

Algumas testemunhas fizeram algumas revelações para a delegada. Elas disseram que desconfiavam do comportamento que existia entre o homem com a enteada.

Uma das testemunhas afirmou que sempre que alguém perguntava à garota a respeito desse assunto ela começava a chorar e nunca respondia.

Mãe fica em estado de choque e menina faz exame para verificar tempo de gravidez

Devido a toda essa situação a mãe da garota entrou em estado de choque e por isso a delegada ainda não conversou com ela.

A garota foi encaminhada para a Maternidade Cândida Vargas e fez alguns exames para que se possa saber quanto tempo ela já tem de gravidez. Eles ainda aguardam a autorização de uma interrupção de gravidez legal. Acredita-se que a resposta em relação ao tempo de gravidez seja confirmada ainda nesta quinta-feira (18). A delegada também informou que se o tempo de gravidez não for superior a 7 semanas, poderá haver uma interrupção legal.

Siga a página Polícia
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!