Depois de várias horas de buscas, o Corpo de Bombeiros localizou no inicio da tarde desta sexta-feira (16) o corpo da jovem de 16 anos que havia caído em uma galeria pluvial na noite da última quinta-feira (15), durante um temporal que atingiu a cidade de Belo Horizonte. Anna Luísa Fernandes de Paiva Maria estava no carro com seu namorado e, ao descer do veículo, não pôde visualizar que a tampa dessa galeria havia sido levava pela força da correnteza e acabou sendo sugada para dentro do buraco.

“Pela força e pelo volume de água a garota foi sugada pelo bueiro”, disse o tenente Pedro Aihara, que afirmou ainda que no local onde o veículo parou, a água chegava a dois metros de altura. Os bombeiros estavam perto do casal no momento em que a garota desapareceu e quase que um dos soldados também foi levado pela correnteza.

O corpo da garota foi encontrado na rua Gaivotas, na altura do bairro Xodó Marize, cerca de três quilômetros de distância da rua Doutor Álvaro Camargos, no bairro São João Batista, local onde a Anna Luísa desapareceu.

“Um tesouro nosso foi para água”, disse Elias Fernandes Paiva, pai da garota, que era sua única filha, enquanto acompanhava os trabalhos de buscas feito pelo Corpo de Bombeiros.

A mãe de Anna Luísa, Anna Maria Fernandes, ainda teria alertado a filha sobre o perigo do temporal através de uma mensagem. Anna Luísa chegou a responder, dizendo que estava voltando. A mãe ainda enviou uma nova mensagem, pedindo que mesmo que a chuva parasse, era para ela esperar um pouco a mais em local seguro, em razão das ruas ainda estarem alagas, mas essa mensagem, enviada às 19h, não foi respondida.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Polícia

Mãe e filha morreram abraçadas

Outras duas vítimas do temporal desta quinta-feira (15) em Belo Horizonte são Cristina Pereira Matos, de 40 anos, e sua filha Sofia Pereira, de 6 anos. Elas estavam dentro de um carro, na avenida Vilarinho, que foi levado pela enxurrada e quando os bombeiros a encontraram, elas estavam abraçadas e com um terço na mão. Elas morreram afogadas.

A avenida onde as duas vítimas morreram é uma das mais movimentadas da cidade e vários córregos nas proximidades transbordaram, arrastando outros carros e causando estragos.

Muitas pessoas ficaram ilhadas enquanto outras decidiram se arriscar e fazer a travessia.

De acordo com informações passadas pela Defesa Civil, o feriado de 15 de novembro foi o dia em que se registrou mais chuvas na cidade em todo esse ano.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo