Saíram os dados dos números registrados por mortes violentas nos primeiros 9 meses do ano, e a contabilização dos números dessas mortes impressiona. E esse número é maior, já que o estado do Paraná não divulga os dados dessa modalidade de morte desde julho. O estado do Maranhão igualmente não divulgou os números do mês de setembro - mês este em que foi contabilizada a estatística de crimes causados por esse tipo de morte.

Foram contabilizadas 38.436 mortes violentas nesse período de nove meses aqui no Brasil.

Somente no mês de setembro foi um total de 3.721 o número de mortes violentas registradas no país. Lembrando que esse número ainda é maior porque faltaram dados dos últimos meses dos estados do Paraná e do Maranhão.

Foram registradas nessa contabilização todos os tipos de crimes violentos como homicídios dolosos, latrocínios, lesão corporal seguida de morte, que são esses os denominados crimes violentos letais e intencionais.

De acordo com a Secretaria de Segurança Pública do Maranhão, os dados de setembro ainda estão sendo contabilizados, que até o final do ano estarão disponíveis.

Uma vez que até o final do ano, ainda está dentro do prazo estabelecido, que é de 3 meses para a divulgação desses dados.

Já o estado do Paraná, através de sua Secretaria de Segurança Pública, informou que os 3 meses que ficaram sem a divulgação dos dados desse tipo de crime ainda estão sendo computados para posterior homologação e divulgação.

O governo federal ainda não faz o monitoramento da criminalidade no Brasil

O governo federal ainda carece de um sistema nacional de monitoramento da criminalidade no Brasil. Cabe esse papel à sociedade civil, às universidades e à imprensa realizar o levantamento.

Esses levantamentos da violência através do monitoramento foram feitos pelas instituições do G1, Núcleo de Estudo da USP (Universidade de São Paulo) e pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública, que apontam o mapa da violência no Brasil.

De acordos com esses dados, feitos segundo à diretriz da Lei de Acesso à Informação. Essa ferramenta criada pelo G1 permite acompanhar o número de mortes violentas mês a mês por todo o país, seguindo a padronização metodológica utilizada pelo Fórum Anuário Brasileiro de Segurança Pública.

Dizem os estudiosos da área que, para reduzir os números desse tipo de crime, devem ser feitas a contabilização exata de quem sãos as vítimas, de quem são os agressores, de onde esses crimes acontecem e as principais razões. Conhecendo quem são as vítimas e quem são os agressores, e as principais razões que motivam os agressores a praticar esses tipos de crime, é um fator essencial para construir políticas públicas que visam a diminuição dessa prática criminosa.

No Norte e Nordeste do país é onde concentram os 10 estados mais violentos da federação

Segundo esses dados, o mês de janeiro foi o mais violento do ano até setembro. E setembro o que registrou o menor número de crimes causados por mortes violentas. Os 10 estados mais violentos encontram-se no Norte e Nordeste do país.

Em termo de percentagem de mortes por habitante, Roraima lidera a classificação de estado mais violento do Brasil, seguida de Rio Grande do Norte, Ceará e Acre. Respectivamente ocupando o segundo, terceiro e quarto lugar nessa triste classificação de crimes por mortes violentas.

Roraima ainda sofre com a migração de venezuelanos, que migram para esse estado fugindo da crise humanitária que se estalou na Venezuela.

E essa migração de venezuelanos é um fator que pode aumentar ainda mais a violência naquele estado.

Brasil é o 9º país mais violento do mundo. De acordo com a agência da ONU. Com uma taxa de 31,1 mortes para cada 100 mil habitantes. Taxa que se assemelha muito a países que estão em conflitos de guerra de acordo com ONU.

Não perca a nossa página no Facebook!