A cada dia a morte do jogador Daniel Corrêa ganha novos contornos. Nesta sexta-feira (2), foi divulgado que Edison Brittes Júnior e sua filha, Allana Brittes, entraram em contato com a mãe de Daniel, Eliana, para se solidarizar pela situação.

Daniel foi morto no sábado, dia 27 de novembro, em São José dos Pinhais, região metropolitana de Curitiba, após ser flagrado no quarto do casal Edison e Cristina.

Publicidade
Publicidade

A Polícia ainda investiga o que aconteceu. Daniel enviou fotos para amigo deitado ao lado de Cristina, que dormia.

O jogador teria sido espancando pelo empresário e por mais três homens na casa da família Brittes. De lá, foi colocado no porta-malas do carro e levado para uma região de mata.

No domingo, dia 28 de novembro, data em que o corpo foi encontrado, Allana entrou em contato com Adriana, via WhatsApp.

Publicidade

A jovem enviou para a mãe de Daniel uma lista de hotéis próximos à sua residência para a família ficar hospedada, enquanto resolvia os trâmites burocráticos para que o corpo fosse liberado.

Allana afirma que estava indo ao IML com seus pais e pede para Adriana ficar tranquila. Ela diz ainda não acreditar no que estava acontecendo.

Em seguida, Adriana avisou à Allana que não precisaria mais ir ao IML porque já haviam confirmado que o corpo era de seu filho.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Polícia

Allana então enviou foto da estrada e disse que já estava a caminho.

Na segunda-feira, Allana voltou a procurar Adriana pedindo informações sobre o velório. A tia de Daniel passou a responder as mensagens e questionou Allana sobre o que teria acontecido na casa da família Brittes. A jovem de 18 anos afirmou que o jogador ficou bastante ao celular e teria ido embora de sua casa, por volta das 8 da manhã, sozinho.

Ela disse também que não havia acontecido nenhuma briga em sua casa e que Daniel teria ficado com uma mulher chamada Evellyn, que estava dormindo quando o jogador foi embora. Allana também postou foto ao lado de Daniel nas redes sociais. Ela pedia justiça e chamava o jogador de amigo.

Ligação do pai

No mesmo dia, o pai de Allana, o empresário Edison Brittes Júnior, ligou para a mãe da vítima prestando solidariedade pelo momento difícil pelo qual ela estava passando.

Publicidade

Em entrevista ao R7, um parente de Daniel confirmou essa versão e falou sobre o telefonema. Logo depois, Edison confessou o crime e alegou que o jogador tentara estuprar sua esposa. As atitudes de pai e filha pode complicar ainda mais a situação dos dois.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo