Eliana Corrêa, mãe do jogador Daniel, [VIDEO] decidiu falar publicamente pela primeira vez a respeito da morte do filho. Desde que o crime veio à tona, Eliana não havia se manifestado em público. Em entrevista transmitida neste domingo (11) no programa Fantástico, da Globo, ela fez um grande desabafo e lamentou a barbárie que fizeram com o filho. O jogador deixou uma filha pequena.

Durante a entrevista, a mãe do atleta disse que Daniel está fazendo muita falta.

Não perca as atualizações mais recentes Siga o Canal Polícia

O sentimento que ela diz ter é que a família Brittes arrancou uma parte dela de forma muito cruel. Visivelmente triste, Eliana disse que o filho não merecia terminar dessa forma.

A mãe do jogador disse que não foi só o filho dela que morreu, mas que os envolvidos mataram muita gente quando tiraram a vida de Daniel.

Bruna Martins, mãe da filha de Daniel, também lamentou o ocorrido. Ela disse que é como se tivesse perdido parte da própria vida. Na entrevista, ela falou que é como se uma parte dela tivesse sido enterrada junto com o atleta. Ela acusou os envolvidos de tirarem da filha dela o direito de ter um pai. A expressão de tristeza era visível no semblante da moça.

Edison Brittes confessou o crime

Depois que a morte de Daniel [VIDEO] foi descoberta e as investigações começaram a apertar o cerco sobre a família Brittes, Edison acabou confessando o crime. Porém, em sua defesa, ele alegou que matou o rapaz porque o mesmo teria tentado abusar sexualmente de sua esposa, Cristiana.

Testemunha diz que não viu Daniel e Cristiana juntos na boate

O aniversário de Allana Brittes aconteceu em uma boate de Curitiba. Uma testemunha importante contou à Polícia que não viu Cristiana e Daniel juntos na danceteria, porém teve uma ligeira impressão de que a esposa de Edison teria ido atrás do atleta quando ele saiu do camarote.

Daniel foi muito agredido antes de morrer

Essa mesma testemunha contou às autoridades que bateram no atleta quando ele estava no quarto, depois o levaram para a sala e bateram ainda mais. Depois das agressões, eles deixaram Daniel deitado de bruços no chão. Daniel Corrêa ficou caído por cerca de cinco minutos, até que foi carregado e jogado no porta-malas do carro.

O corpo do jogador foi encontrado em um matagal em São José dos Pinhais, no dia 27 de outubro. Em seu corpo era possível ver diversos hematomas. Daniel estava parcialmente degolado e seu órgão genital havia sido decepado. A família Brittes (pai, mãe e filha), suspeita de envolvimento no crime, está presa preventivamente.