Seis pessoas morreram na queda de um helicóptero ocorrida neste sábado (24), em Campos do Jordão, no interior de São Paulo. A aeronave, pertencente a uma indústria farmacêutica, decolou durante a manhã, por volta das 10 horas, da cidade de Itapira, e tinha como destino Campos do Jordão, onde sua chegada estava prevista para as 11 horas. Havia muita neblina e chovia na hora do Acidente.

Um helicóptero chegou a ser usado para ajudar nos trabalhos de buscas, porém por conta da chuva e da neblina, precisou abortar a missão.

O Corpo de Bombeiros conseguiu captar um sinal de rádio da aeronave acidentada e foi por meio desse sinal, que no início da noite ela foi localizada na região do Pico do Itapeva, na Serra da Mantiqueira. Um helicóptero da Força Aérea Brasileira (FAB) também foi usando nas buscas.

Com capacidade para transportar até sete pessoas, o helicóptero era do modelo Agusta-AW109SP de prefixo PT-FPS e pertencia ao laboratório Cristália, indústria do ramo de produtos farmacêuticos e que possui duas unidades na cidade de Itapira. Das vítimas, apenas uma era funcionária da empresa e duas eram pilotos da aeronave.

Empresa informa quem eram os ocupantes

O Laboratório Cristália emitiu uma nota no início desta noite onde informava quem eram os ocupantes da aeronave acidentada. De acordo com a empresa, estavam os pilotos Antonio Landi Neto e Juliano Martins Perizato, a acionista e vice-presidente do Conselho do Cristália Dra. Kátia Stevanatto Sampaio, que estava acompanhada de marido, o Dr. Paulo Sampaio. As outras duas pessoas eram o profissional de marcenaria Ronoel Sholl e a arquiteta Leticia Telles.

A empresa também disse que “lamenta profundamente a perda irreparável que este acidente causou”.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Polícia

Segundo acidente neste mês

Este é o segundo helicóptero de modelo similar a se acidentar e deixar vítimas fatais somente este mês no estado de São Paulo. No último dia 3, em Mogi das Cruzes, cinco pessoas morreram após a aeronave cair em uma zona de mata e se incendiar. Naquele dia, as condições climáticas também eram ruins, com ventos e pouca visibilidade. De acordo com a Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC), a aeronave havia sido fabricada no ano de 2001.

O helicóptero havia saído da praia de Juquehy, no litoral Norte paulista, com destino a Osasco, na Grande São Paulo, mas caiu em uma área de mata em no distrito de Quatinga, Mogi das Cruzes. Dentre as vítimas fatais, estavam neta, mãe e avó.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo