A assessoria de imprensa do futuro ministro da Economia, Paulo Guedes, informou nesta segunda-feira (19) que o seu amigo de mesma formação acadêmica Roberto Castello Branco fará parte da equipe do presidente eleito Jair Bolsonaro, como novo presidente da Petrobras. Castello Branco ocupará vaga do atual presidente da empresa, Ivan Monteiro.

Atuando como diretor do Centro de Estudos em Crescimento e Desenvolvimento Econômico da Fundação Getúlio Vargas (FGV), Castello Branco cursou doutorado na Universidade de Chicago, nos EUA, com o apoio de bolsa do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

Ex-integrante do conselho administrativo da estatal na gestão de Dilma Rousseff, Castello Branco entende ser necessária a privatização da Petrobras e de outras empresas estatais. O economista, que também já foi diretor do Banco Central e dirigente executivo de instituições financeiras, atuou, ainda, na área de finanças da Vale do Rio Doce (atual Vale).

Castello Branco significa que Paulo Guedes tem liberdade de escolha

De acordo com o site El País, a escolha de Castello Branco é uma mostra de que Bolsonaro deu liberdade de escolha a Paulo Guedes para desenhar a política financeira do futuro Governo, com nomes que ele mais se identifica.

A área financeira é um dos pilares da campanha de Bolsonaro, que o escolheu para tirar o Brasil de uma das suas mais profundas crises, resultando em cerca de 12,5 milhões de desempregados.

Equipe de governo de Bolsonaro tem diversos nomes já indicados

No dia 7 de novembro, Jair Bolsonaro apresentou aos brasileiros a deputada federal Tereza Cristina (DEM/MS) como integrante de sua futura equipe de governo.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Jair Bolsonaro Governo

Semana passada, dia 13, o presidente eleito chamou para o grupo o general do Exército Fernando Azevedo e Silva, para a função de ministro da Defesa. Dia 14, Bolsonaro anunciou o diplomata Ernesto Araújo, do Departamento dos Estados Unidos (EUA), como ministro das Relações Exteriores.

Outros nomes já indicados pelo novo presidente eleito, compondo a sua equipe de governo, são: Onyx Lorenzoni, na Casa Civil, e Paulo Guedes, na Economia, que reúne os atuais ministérios da Fazenda, Planejamento e Indústria e Comércio.

Na pasta de Ciências e Tecnologia, estará à frente o astronauta Marcos Pontes, primeiro brasileiro a viajar ao espaço. Por sugestão de Bolsonaro, o juiz Sergio Moro comandará o superministério da Justiça e Segurança Pública, enquanto o general Augusto Heleno ganhou a responsabilidade de organizar o Gabinete de Segurança Institucional.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo