O caso João de Deus teve sua primeira abordagem no Programa do Bial, que foi ao ar na sexta-feira, dia 7 de dezembro. No programa, algumas mulheres narraram suas histórias de assédio com o famoso médium, que há mais de 40 anos faz atendimentos espirituais no município de Abadiânia, no interior de Goiás. A promessa era de cura, mas algumas disseram que foram abusadas sexualmente por João, sob ameaças de diversos tipos.

Após a denúncia feita no programa, dezenas de mulheres se manifestaram com alegações semelhantes, inclusive estabelecendo padrões na forma de agir do médium, que nega todas as acusações.

Denúncia de estupro da filha, Dalva Teixeira

Dalva Teixeira, filha do médium, veio a público revelar que foi estuprada pelo próprio pai. A moça está sendo representada por seu advogado, Marcos Bocchini, e vai se manter escondida por motivos de segurança pessoal.

A revista Marie Claire reportou que várias testemunhas afirmam que a filha de João de Deus era estuprada continuamente por ele quando ainda era menor de idade. Em entrevista à revista, a representante da moça, Sabrina Bittencourt, previamente autorizada pelo seu advogado, afirmou que, na esperança de acabar com o sofrimento da mãe, os filhos de Dalva, portanto netos do médium, entraram com um processo contra o avô em 2017, entretanto, semelhantemente aos casos narrados, foram coagidos a desmentir o ocorrido, através de vídeo gravado por eles mesmos.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Polícia Mulher

De acordo com Sabrina, que é representante de Dalva e Doutora Honoris Causa por seu trabalho humanitário por uma Universidade no México, a UCEM, a filha de João só falará quando intimada perante juiz e teme por sua vida porque tempos atrás foi obrigada a gravar um vídeo, contra sua vontade, negando que ele cometesse tais abusos e também à revelia de sua vontade foi internada em clínica por muito tempo.

Bittencourt informa ainda que tal vídeo foi apresentado como defesa de João nos dias de hoje, mas frisa que ele foi gravado sob coação em 2017. Sabrina também teme represália e, por isso, mora fora do Brasil, mas segue ajudando nas investigações das denúncias contra o médium. Ela afirma que foi ameaçada de morte várias vezes e, por conta disso, vive mudando de casa a cada 10 dias.

O advogado do médium, Alberto Toron, foi procurado para dar sua versão sobre esse fato, uma vez que o vídeo foi apresentado na defesa de João de Deus, mas até o presente momento não se manifestou.

Sabrina é a cabeça do movimento que pede ajuda à famosa Oprah Winfrey, que também já visitou o médium em 2012. O movimento usa a hashtag que carrega o nome de Oprah, que é apresentadora de TV norte-americana, vencedora de diversos prêmios Emmy e que fugiu de casa quando criança por estar cansada de sofrer abusos sexuais.

Abaixo a campanha de Sabrina de Campos ou como é conhecida atualmente, Sabrina Bittencourt, em prol da campanha #OprahWeNeedYou (Oprah precisamos de você) em seu Facebook.

O apelo a Oprah diz o seguinte:

"Seu dedo deu a João de Deus muito ouro e também trouxe muitas lágrimas a milhares de meninas e mulheres ao redor do mundo! Nós acreditamos em você. Oprah Winfrey não deixe seu bom nome ser usado para que mais mulheres sejam enganadas e abusadas sexualmente. Nós estamos esperando por sua voz."

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo