O caso do médium João Teixeira de Farias, de 76 anos, vem causando muitas polêmicas nas redes sociais e trouxe a discussão sobre os assédios e os estupros que acontecem em grande número aqui no Brasil. Nessa terça-feira (18), a Justiça irá julgar o habeas corpus da defesa do médium, pedindo para transformar a prisão preventiva em prisão domiciliar com tornozeleira eletrônica. Segundo a defesa, esse pedido teria sido feito por causa da idade avançada de João de Deus e sua saúde frágil.

A decisão em julgamento

Esse habeas corpus veio quando, a força-tarefa, que foi realizada pelo Ministério Público do Estado de Goiás, começou a apurar as várias acusações que o médium aparece como realizador dos abusos sexuais. Segundo o Ministério Público de Goiás, foram 506 depoimentos de vítimas que relataram crimes de cunho sexual. Em uma semana que esse grupo para ouvir as vítimas foi criado, o número de acusações vem aumentando.

Segundo informações do órgão da Justiça, João Teixeira dormiu em uma cela de 16 metros, no segundo dia, com uma pia e um vaso sanitário. Essa cela fica no Complexo Prisional de Aparecia de Goiânia, que é denominado Núcleo de Custodia. Segundo o próprio Ministério, o pedido de prisão preventiva aconteceu por causa de 15 denúncias feitas na cidade de Goiânia e todas elas foram formalizadas.

O médium se entregou neste último domingo (16), em uma estrada de terra na região de Abadiânia, no Estado de Goiás.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Polícia

O lugar foi escolhido, segundo a defesa, pelo próprio João de Deus. E a Polícia disse que houve uma longa negociação para que o médium se entregasse à Justiça.

Os advogados de defesa alegam a inocência do médium e levantam várias dúvidas sobre alguns comportamentos dessas possíveis vítimas por causa dos conteúdos do depoimento.

A polícia investiga também uma movimentação de R$ 35 milhões nas muitas contas de João Teixeira.

Mais de 500 relatos contra o médium

Montada uma força-tarefa para apurar as várias acusações de abuso sexual contra o médium, o Ministério Público de Goiás já ouviu 506 depoimentos com o mesmo conteúdo até a ultima segunda-feira (17).

O delegado da Policia Civil André Fernandes confirmou que o pedido de prisão preventiva se baseou em 15 depoimentos que foram formalizados com os policiais. Essas denúncias, as vítimas prestaram o depoimento separado e fizeram relatos muitos parecidos com as outras vítimas do suposto assédio do médium.

Existem relatos de possíveis vítimas também, segundo o Ministério Público, nos estados do Ceará, Mato Grosso, Rio Grande do Norte, entre outros.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo