O caso do médium João Teixeira de Farias, de 76 anos, vem causando muitas polêmicas nas redes sociais e trouxe a discussão sobre os assédios e os estupros que acontecem em grande número aqui no Brasil. Nessa terça-feira (18), a Justiça irá julgar o habeas corpus da defesa do médium, pedindo para transformar a prisão preventiva em prisão domiciliar com tornozeleira eletrônica. Segundo a defesa, esse pedido teria sido feito por causa da idade avançada de João de Deus e sua saúde frágil.

Publicidade
Publicidade

A decisão em julgamento

Esse habeas corpus veio quando, a força-tarefa, que foi realizada pelo Ministério Público do Estado de Goiás, começou a apurar as várias acusações que o médium aparece como realizador dos abusos sexuais. Segundo o Ministério Público de Goiás, foram 506 depoimentos de vítimas que relataram crimes de cunho sexual. Em uma semana que esse grupo para ouvir as vítimas foi criado, o número de acusações vem aumentando.

Segundo informações do órgão da Justiça, João Teixeira dormiu em uma cela de 16 metros, no segundo dia, com uma pia e um vaso sanitário.

Defesa de João de Deus apresenta habeas corpus para revogar prisão (Marcelo Camargo/Agência Brasil)
Defesa de João de Deus apresenta habeas corpus para revogar prisão (Marcelo Camargo/Agência Brasil)

Essa cela fica no Complexo Prisional de Aparecia de Goiânia, que é denominado Núcleo de Custodia. Segundo o próprio Ministério, o pedido de prisão preventiva aconteceu por causa de 15 denúncias feitas na cidade de Goiânia e todas elas foram formalizadas.

O médium se entregou neste último domingo (16), em uma estrada de terra na região de Abadiânia, no Estado de Goiás. O lugar foi escolhido, segundo a defesa, pelo próprio João de Deus. E a Polícia disse que houve uma longa negociação para que o médium se entregasse à Justiça.

Publicidade

Os advogados de defesa alegam a inocência do médium e levantam várias dúvidas sobre alguns comportamentos dessas possíveis vítimas por causa dos conteúdos do depoimento.

A polícia investiga também uma movimentação de R$ 35 milhões nas muitas contas de João Teixeira.

Mais de 500 relatos contra o médium

Montada uma força-tarefa para apurar as várias acusações de abuso sexual contra o médium, o Ministério Público de Goiás já ouviu 506 depoimentos com o mesmo conteúdo até a ultima segunda-feira (17).

O delegado da Policia Civil André Fernandes confirmou que o pedido de prisão preventiva se baseou em 15 depoimentos que foram formalizados com os policiais. Essas denúncias, as vítimas prestaram o depoimento separado e fizeram relatos muitos parecidos com as outras vítimas do suposto assédio do médium. Existem relatos de possíveis vítimas também, segundo o Ministério Público, nos estados do Ceará, Mato Grosso, Rio Grande do Norte, entre outros.

Leia tudo e assista ao vídeo