Um cachorro morreu ao ser espancados supostamente por um funcionário de um supermercado em Osasco, na região metropolitana de São Paulo. Um segurança foi acusado de ter cometido o crime.

O caso, além de ter chocado muitas pessoas e famosos que, através de redes sociais, demonstraram sentir total repúdio pelas agressões sofridas pelo animal, também desencadeou a ação de um político que agiu utilizando da esfera legislativa para aumentar a punição contra quem cometer o crime de maus-tratos a animais.

Não perca as atualizações mais recentes Siga o Canal Polícia

Repercussão

O ocorrido gerou uma grande repercussão e revolta [VIDEO] por parte de muitos internautas, por causa da agressão e da possibilidade de o agressor não ser preso, isso porque a atual legislação trata os crimes de abandono e maus-tratos a Animais como um crime de menor potencial ofensivo.

Assim, quem comete tais crimes, tem facilidade para que a pena seja revertida, com pagamento de cestas básicas e/ou trabalhos sociais em liberdade.

A repercussão do caso gerou uma possibilidade de mudança na lei que trata do assunto de agressões a animais.

Senador propõe leis mais rígidas para coibir maus-tratos

O senador Randolfe Rodrigues (Rede/AP), que entende ser inadmissível que crimes de maus-tratos tenham uma pena inferior aos crimes contra patrimônio, fez uma proposta onde solicita o aumento da pena em casos como esse, além de multa para a empresa que for conivente com crime.

O senador disse ainda que é necessário que aconteça uma modificação na lei para que assim exista uma maior proteção aos animais. Randolfe Rodrigues comentou também a necessidade de que exista uma punição com maior rigor para o crime de maus-tratos a animais, e que seja incluída a prisão dos agressores com penas mais duras.

Segundo o político que fez a proposta, o Brasil é um país que tem a quarta maior população de animais de estimação no mundo. Na proposta, o senador expõe a posição do Brasil no ranking. O número de animais de estimação foi revelado através de pesquisa realizada pela empresa Euromonitor.

E, ainda de acordo com o político, os animais na sociedade moderna não podem ser enquadrados como meros objetos.

Tanto a agressão sofrida pelo cachorro, que acabou levando o animal à morte, quanto a proposta do senador Randolfe Rodrigues geraram debates nas redes sociais [VIDEO], pois a maioria das pessoas desejava um maior rigor na punição ao agressor que espancou o animal, enquanto alguns passaram a considerar também que a empresa não deveria ser punida pelo crime, que poderia ser entendido como algo estritamente individual por parte do segurança. Por outro lado, pessoas se manifestaram favoráveis a um boicote contra a empresa e isso dividiu opiniões.

Por causa da legislação atual, comenta-se sobre o caso nas mais variadas esferas sociais, e até mesmo alguns especialistas acham que a punição para o crime de abandono e maus-tratos a animais seria uma punição muito leve, pois, geralmente, o agressor acaba não sendo condenado à pena de reclusão.