Um crime que chocou todo o Brasil foi relatado do ponto de vista da mãe da vítima no "Fantástico" deste domingo (24). Pedro Henrique, 19 anos, acabou morrendo após levar um golpe de um segurança de uma unidade do hipermercado Extra no Rio de Janeiro. A mãe de Pedro, a esteticista Dinalva, de 35 anos, contou o que viu momentos antes de se deparar com o filho sufocado pelo segurança.

A vítima, como já havia-se revelado anteriormente, tinha alguns problemas psicológicos e lutava para sair do mundo das drogas. Segundo sua mãe, eles foram até o local para comprar um microondas para a família. Em determinado momento, o rapaz saiu correndo no mercado em direção aos seguranças.

Nem mesmo Dinalva entendeu a atitude do filho, já que eles conversavam normalmente.

Dinalva diz que viu o filho morrer aos poucos

Durante a entrevista ao programa dominical da Globo, ela contou que viu seu filho morrer aos poucos. Ela conta que chegou ao local onde o filho foi atacado e percebeu que ele queria dizer alguma coisa, talvez pedir ajuda. Ela então chegou bem próxima do rapaz, mas não conseguiu ouvir o que ele dizia. Ela o questionou sobre o que ele queria dizer, mas ele ficou estático, os lábios foram embranquecendo e ao final da cena ela ainda revela: "Nisso, meu filho ficou trêmulo e caiu", contou.

A mãe ainda cogita que o filho possa ter tido um surto e até teria ficado mais tranquila quando Pedro chegou a procurar o segurança.

A ideia da mãe é que ele seria socorrido pelo segurança, o que não aconteceu. Aliás, Davi Amâncio, o agressor, era muito maior que a vítima e ainda agrediu verbal e fisicamente a mãe, que tentou salvar o filho. "Eu fui tentar olhar e tirar, o segurança me deu um solavanco. Eu rolei no chão", disse ela ao Fantástico.

Depois que o jovem ficou sem os sentidos, o homem saiu de cima dele e Davi ainda teria dito que seria só a mãe suspender as pernas dele, que Pedro voltaria a recobrar os sentidos.

A mãe também contou que ela e todas as pessoas que estavam próximas ficaram intimidadas com a situação. Logo depois da cena de horror, foi constatado que o rapaz não voltava com seus sentidos e um socorrista foi acionado. Logo depois, o Samu também chegou e fez os primeiros socorros no rapaz. Momentos depois ele foi encaminhado a uma unidade hospitalar próxima, mas acabou tendo uma parada cardiorrespiratória.

O suspeito teve seu registro de atuar na profissão de segurança cassado. A princípio ele foi acusado de homicídio culposo (sem a intenção de matar) e responderá em liberdade. Na versão do segurança, o rapaz teria tentado lhe tirar a arma do coldre, o que desencadeou toda a ação violenta. A mãe negou que isto tenha acontecido.

Siga a página Polícia
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!