Um caso de estupro coletivo acabou por ganhar as manchetes e, mais uma vez, causou indignação na população brasileira. Dessa vez, a ocorrência se passou na cidade de Itaguaí, na Região Metropolitana do Rio de Janeiro. Em uma casa abandonada, localizada no Morro do Carvão, uma jovem de 12 anos foi violentada por onze homens. O caso ocorreu no dia 4 de março, durante o período do Carnaval. De acordo com informações divulgadas pela Polícia Civil, responsável pela investigação do caso, os homens em questão possuem envolvimento com o tráfico de drogas.

O delegado responsável pelo caso, Marcos Santana, da 50ª Delegacia de Polícia de Itaguaí, na última quinta-feira (28) disse que a polícia chegou à identidade de um dos suspeitos do crime por meio de uma filmagem da ocorrência.

O vídeo em questão foi divulgado nas redes sociais.

O suspeito em questão, identificado como Jorge Luiz da S. Peres, de 18 anos, foi preso nessa terça-feira (26), no bairro Santa Cruz, localizado na zona oeste da capital carioca. Além de Jorge, outros três suspeitos puderam ser identificados a partir do vídeo divulgado nas redes sociais. No presente momento eles estão sendo procurados pela Polícia Civil.

A respeito do crime, outras informações foram divulgadas pelos investigadores responsáveis pelo caso. Segundo dados fornecidos pela própria polícia, a vítima do estupro coletivo, na ocasião em que o ato ocorreu, estava em um baile funk. Ainda nesse baile, ela foi obrigada pelos homens em questão, que supostamente seriam traficantes, a ingerir bebidas alcoólicas e a retirar a roupa que estava usando.

Posteriormente, a menor foi levada para o local em que o crime aconteceu.

Outro caso

Um outro caso de estupro coletivo aconteceu na cidade do Rio de Janeiro, em 2016, e teve como vítima uma menina de 16 anos, que foi abusada por cerca de 30 homens. Além da brutalidade do crime em questão, os homens envolvidos filmaram todo o ato e imagens do corpo da menina, nu e desacordado, ganharam as redes sociais no dia seguinte ao ocorrido.

Siga a página Polícia
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!