Um homem matou a esposa em um motel na BR-104, localizado entre a saída de Campina Grande e Queimadas, no Agreste paraibano. Logo após o crime, ele enviou uma mensagem de texto ao irmão informando o que acabara de fazer. Ele disse na mensagem que havia matado a esposa e que, em seguida, iria se matar utilizando um revólver.

A conversa entre os irmãos foi divulgada pela TV Paraíba. O irmão de Aderlon Bezerra de Souza, de 42 anos, mostrou as imagens da conversa na manhã da última terça-feira (16).

Publicidade

Nas capturas de tela, é possível ver a troca de mensagens entre os dois.

Primeiramente, Aderlon envia mensagens e comunica o irmão que havia matado a esposa, Dayse Ariceia da Silva Alves, de 40 anos, e que, em seguida, ele irá se matar. Logo após as mensagens, ele tenta contatar o irmão através de duas ligações, que, pelas imagens, mostram que o rapaz não conseguiu obter sucesso no contato. Sem obter resposta nas ligações, o homem novamente envia mensagens ao irmão. Desta vez, ele relata onde está e informa que está em um motel chamado Parque Motel e hospedado no quarto 24.

Ele completa dizendo que não teria mais jeito, e se despede do irmão. O irmão tenta responder, perguntando com quem o homem está no motel no momento, mas ele responde apenas com a palavra “revólver”.

Segundo informações da Polícia, eles acreditam que Aderlon realizou o crime de forma premeditada. O irmão relatou que no dia em que o homem cometeu o crime, ele deu um abraço no irmão e na mãe como se estivesse se despedindo de ambos. O casal deixou duas filhas, uma de 8 anos e outra de 17.

Delegada faz relato

A delegada responsável pelo caso, Nercília Dantas, relatou que os corpos do casal, ao serem encontrados na suíte 24 do motel, estavam deitados um do lado do outro e com suas roupas.

Publicidade

Para realizar o crime, segundo apontou a delegada, o homem utilizou uma revólver de calibre 38. Ele atirou na boca da esposa e, após matá-la, deitou-se ao seu lado e atirou na própria boca. Segundo Nercília, é necessário esperar que a perícia cadavérica informe em seus resultados quantos tiros foram disparados em cada corpo exatamente.

Ainda segundo informações concedidas pela polícia, o casal estava há 9 dias separado. Mas as famílias informaram que além disso, eles já não viviam na mesma casa fazia um ano.

Aderlon morava na casa da mãe desde então. O irmão relatou que o homem conheceu sua esposa quando ela tinha apenas 15 anos de idade e eles estavam juntos há 21 anos, mas há um ano haviam se separado. Também foi relatado pelo irmão que o homem não aceitava o fim do relacionamento e acompanhava todas as postagens que Dayse fazia em suas redes sociais desde a separação.