Tales Volpi Fernandes, mais conhecido como MC Reaça, é suspeito de agredir uma mulher, que estaria grávida e com quem ele teria um Relacionamento. Após a agressão, o MC foi encontrado morto neste sábado (1º). A moça de 28 anos se encontra em estado estável na UTI.

O corpo de Tales Volpi, que tinha 25 anos, foi enterrado na segunda-feira (3), às 10h30, em Indaiatuba, no interior São Paulo, no cemitério Parque dos Indaiás.

MC Reaça ficou bastante conhecido por compor vários jingles para a campanha do presidente Jair Bolsonaro.

Jair Bolsonaro lamenta morte de MC Reaça

No último domingo (2), o presidente usou suas redes sociais para prestar condolências a família do cantor. Jair Bolsonaro disse que MC Reaça sonhava em mudar o Brasil e usou o nome do presidente para mostrar todo seu talento. Bolsonaro finalizou dizendo que o funkeiro será lembrado por sua humildade, seu talento, pelo seu dom e o amor pelo Brasil.

A morte do cantor

O corpo de Tales Volpi (MC Reaça) foi encontrado na rodovia Dom Pedro I (SP-065), no KM 116, na noite de sábado. O boletim de ocorrência aponta a causa da morte como suposto suicídio.

No local onde o corpo foi encontrado pela polícia havia uma moto, uma mala com roupas do funkeiro e a quantia de R$ 602 em dinheiro.

Suspeito de agredir mulher

No mesmo sábado (1º), foi registrado um Boletim de Ocorrência na policia civil de Valinhos que envolvia MC Reaça. De acordo com o registro, Tales Volpi Fernandes teria agredido uma mulher de 28 anos. A moça estaria grávida e teria um relacionamento com o cantor.

A jovem, que não foi identificada, está internada em estado estável na UTI, no Hospital Augusto de Oliveira Camargo.

Ela apresenta fraturas no maxilar, além de edemas nos olhos e no rosto. O Boletim foi registrado como violência doméstica e lesão corporal. A mulher deve passar por cirurgia, mas a data ainda não foi confirmada.

Músicas polêmicas

MC Reaça compôs várias músicas para a campanha de Jair Bolsonaro, mas uma das mais polêmicas foi o funk ''Proibidão Bolsonaro'', onde o cantor disparava ofensas contra Jean Wylllys, ex- deputado federal do PSOL, e contra os políticos Ciro Gomes, que na época era candidato à presidência, Jandira Feghali e Luciana Genro.

Um trecho do funk ofendia as mulheres que lutam a favor do feminismo, e dizia: ''dou pra CUT pão com mortadela e pras feministas ração na tigela. As mina da direita são as top mais bela, enquanto as da esquerda tem mais pelo que cadela''.

MC Reaça defendia os ideais de Jair Bolsonaro, apoiou a campanha do presidente usando seu talento para compor músicas que exaltassem o que ele acreditava.

O presidente deixou suas condolências à família do cantor através das redes sociais.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo