Durante a madrugada e manhã desta quinta-feira (31), ao menos 11 pessoas foram presas em sete cidades do estado da Bahia. O fato aconteceu devido a uma operação contra a pornografia infantil. A ação toda foi realizada sob ordem do Ministério Público do Estado (MP-BA), que declarou que os suspeitos que foram presos foram flagrados e que foram cumpridos os mandados expedidos com busca e apreensão.

As prisões dos suspeitos aconteceram nas cidades de Salvador, Aratuípe, Alagoinhas, Cruz das Almas, Baianópolis, Feira de Santana e Simões Filho. Apesar de terem sido divulgadas as prisões, não foi informado o número de presos de cada uma das cidades onde foram cumpridos os mandados.

Suspeitos agiam pela internet

O Ministério Público informou que foram apreendidos com os suspeitos dos crimes computadores, tablets, aparelhos celulares, documentos e outros objetos que são usados para a prática de pedofilia. Os agentes levaram todo o material que foi encontrado com os suspeitos para análise.

A operação que cumpriu os mandados foi batizada como “Operação Dirty Web”, e tem como objetivo reprimir os delitos em relação ao armazenamento, troca, disponibilização, transmissão e comercialização de materiais que possam conter sexo explícito ou pornografia em que estejam envolvidas crianças e adolescentes.

Toda a ação foi realizada pelo Ministério Público, que contou com o apoio do Grupo de Atuação Especial de Combate a Organizações Criminosas e Investigações Criminais (Gaeco) e também da 1ª Promotoria de Justiça de Itamaraju.

Por volta das 8h desta quinta-feira, segundo informações, a operação ainda estava em curso.

Foi informado pelo Ministério Público que os mandados foram expedidos pela 1ª Vara dos Feitos e Delitos Praticados contra Crianças e Adolescentes da Capital. Além disso, também contou com o apoio da 2ª Vara Criminal de Alagoinhas. Os mandados também foram expedidos contando com o apoio de outras organizações, como as Varas Criminais de Nazaré, Baianópolis e Cruz das Almas.

A 1ª Vara Criminal de Feira de Santana também apoiou expedindo os mandados contra os criminosos.

A investigação para que os suspeitos fossem identificados contou com apoio técnico, garantido pela Divisão de Capturas do Departamento de Capturas e Delegacias Especializadas (DECADE/PCSP). O Departamento da Polícia Técnica do Estado da Bahia também esteve presente na investigação dos suspeitos de crimes de pedofilia.

A Coordenadoria de Segurança Institucional e Inteligência do Ministério Público do Estado da Bahia (CSI) participou também da investigação dando apoio para os outros órgãos.

A Polícia Civil também recebeu apoio em sua ação durante toda a investigação dos crimes com o Departamento de Polícia do Interior (DEPIN), o Comando de Operações Especiais (COE) e também com o Departamento de Polícia Metropolitano (DEPOM). Além disso o Departamento de Crimes contra o Patrimônio (DCCP) fez parte de toda a investigação cedendo seu apoio aos responsáveis pela operação. A operação também contou com diversos promotores de Justiça do Estado que auxiliaram em relação os mandados que foram expedidos.

Siga a página Polícia
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!