No último domingo (12), o Bloco da Favorita recebeu vários famosos em seu palco. Entre as celebridades presentes no bloco, destacam-se Josie Pessoa, Ellen Jabour, Camila Queiroz, Mariana Joana, Thaila Ayala, Preta Gil, MC Marcinho e Letícia Lima. O evento se aproveitou da estrutura que havia sido montada anteriormente para o Réveillon em Copacabana.

Entretanto, o que era para ser uma ocasião festiva, acabou se transformando em uma grande confusão, que dominou as ruas do bairro, localizado na zona sul do Rio de Janeiro.

Após o encerramento do Bloco da Favorita, por volta de 1h10,depois da festa, a Guarda Municipal fez uma tentativa de dispersar o público que ainda estava no local.

Essa tentativa, porém, contou com o uso de gás lacrimogêneo e fez com que os participantes do evento acabassem reagindo, jogando garrafas. Isso culminou em alguns feridos, como um hóspede do hotel Copacabana Palace, que foi atingido dentro do hotel, enquanto estava na piscina. O hotel se localizada em frente ao foco de toda a confusão.

De acordo com a coluna de Leo Dias, do portal UOL, os hóspedes e demais visitantes que estavam no Copacabana Palace chegaram a se assustar com as bombas de efeito moral utilizadas pela Guarda. O jornalista afirma ter recebido relatos de os salões do hotel precisaram ser abertos em caráter de emergência, visto que algumas mulheres chegaram a passar mal em decorrência do gás.

Batalha judicial enfrentada pelo bloco

Também segundo Leo Dias, o Bloco da Favorita precisou passar por uma batalha judicial para conseguir realizar o evento no último domingo e chegou até mesmo a ser vetado pela polícia do Rio de Janeiro. Segundo o colunista, a Associação de Moradores de Copacabana se opunha à realização do bloco no bairro.

Entretanto, todas as exigências foram cumpridas e a festa, organizada por Carol Sampaio, conseguiu ser realizada, levando o funk característico do Bloco da Favorita à praia de Copacabana.

Segundo Leo Dias, ao procurar por Carol Sampaio para que a situação fosse comentada, a relações públicas da promoter afirmou que o evento organizado por ela correu bem e a confusão teve início horas depois do encerramento. De acordo com informações da Riotur, a versão de Carol é verdadeira e toda a correria teve início quando a Guarda Municipal tentou dispersar as pessoas que ainda estavam na praia.

Siga as suas paixões.
Fique atualizado.

Segundo a empresa de turismo, o evento marca a abertura do Carnaval 2020 no Rio de Janeiro e ocorreu somente dentro do horário previsto, que se estendia das 13h às 17h59. Além disso, a Riotur também destacou que o Bloco da Favorita cumpriu todas as exigências que foram feitas para a sua realização e o público, por sua vez, ficou dentro do que foi exigido, cerca de 300 mil pessoas.

Não perca a nossa página no Facebook!