A Polícia Civil investiga o assassinato da transexual Natasha Lobato, de 30 anos. Ela foi encontrada morta dentro de sua casa, na noite desta segunda-feira (27), em Francisco Morato, na Grande São Paulo. O caso está sendo tratado como assassinato e furto.

Natasha trabalhava como garota de programa e em razão do isolamento social, os motéis estão fechando. Com isso, algumas delas têm optado por atender os clientes em sua própria casa. A suspeita é que ela tenha sido morta por alguém que a tenha procurado para fazer um programa.

O corpo da vítima foi encontrado por alguns amigos, que estranharam seu sumiço e foram até sua casa.

Ele estava enrolado em, um cobertor e havia várias fraturas, principalmente na cabeça e no rosto. A possível causa da morte por politraumatismo causado por objeto pontiagudo.

Um aparelho celular e uma televisão foram furtados e não foram encontrados sinais de arrombamento na residência. Os amigos disseram que o cômodo que o corpo foi encontrado estava revirado.

A polícia está de posse de imagens de câmeras de segurança, que poderão ajudar na identificação do criminoso. O portal G1 teve acesso às imagens que mostram uma moto passando pela rua em que a vítima morava às 0h48. Por volta das 5 da manhã a mesma moto aparece próximo ao local.

Natasha era voluntária de uma organização não governamental (ONG) que presta apoio para trans e travestis.

De acordo com Valéria Rodrigues, coordenadora do Instituto Nice. “Ela sempre foi preocupada em ajudar as amigas”, disse.

A última conversa entre as duas foi justamente para combinar de ajudar uma pessoa que estava passando por necessidades. Natasha pergunta se ela consegue dar uma ajuda para uma amiga, que é transexual e que está passando por necessidades e está com o aluguel atrasado.

Valéria explica que muitas trans não arrumam emprego por conta do preconceito e precisam se prostituir para sobreviver.

Policial reage a assalto e mata um

Um suspeito foi morto e outro ferido após uma tentativa de assalto a um policial militar que estava de folga. O caso ocorreu na zona norte de São Paulo na noite do último domingo (26).

De acordo com informações passadas pelas autoridades, por volta das 23 horas o policial militar trafegava com seu carro na avenida Sezefredo Fagundes, na região do Jaçanã, quando foi abordado por dois homens.

O policial reagiu e baleou os dois suspeitos, sendo que um deles morreu no local e o outro foi levado para o Hospital São Luiz Gonzaga.

A perícia esteve no local e constatou que nove tiros foram disparados. As armas usadas pelo policial e pelo suspeito foram apreendidas e as investigações irão apontar se o PM agiu em legítima defesa ou se houve excessos. O policial não se feriu na ação e também não teve seu carro levado.

Siga a página Polícia
Seguir
Siga a página LGBT
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!