Por conta da proliferação do coronavírus, muitas famílias estão passando por situações difíceis, tendo em vista que muitas pessoas foram demitidas de seus respectivos empregos ou tiveram parte do salário reduzido. Diante disso, muitos trabalhadores não estão conseguindo suprir as necessidades básicas. Em razão disso, alguns voluntários do estado de São Paulo se reuniram para fazer quentinhas para distribuir para essas pessoas que se encontram em situações difíceis.

O projeto batizado de Marmitas do Amor chega a produzir diariamente cerca de 100 marmitas, que são distribuídas nas comunidades carentes.

De acordo com informações do portal G1, a iniciativa partiu da advogada identificada como Rosely Lopes, que está lutando contra um câncer de mama e resolveu iniciar esse projeto para ajudar as famílias que estão passando por dificuldades nesse momento de crise. "O fato de eu estar com câncer de mama, eu ter o que comer em casa, ter fome e não conseguir comer, isso me incomodou muito", disse Rosely.

"Então eu fiz uma pergunta: o que seria pior? A situação que eu estou passando ou a situação que muitas pessoas que não tem o que comer?", completou a fundadora do projeto para à reportagem do G1. A advogada também informou que a maioria dos voluntários veio das redes sociais, onde a maioria também tem o mesmo interesse em ajudar o próximo nesse período de proliferação do novo coronavírus.

Desde então, dezenas de marmitas estão sendo doadas para algumas pessoas de Pitangueiras. A advogada informou que essa iniciativa humanitária irá se estender até que medidas eficazes sejam tomadas para evitar que novas pessoas morram pelo contágio da doença. Todas as doações estão sendo feitas pelos voluntários.

As últimas informações do Ministério da Saúde apontam que 2.586 mortes foram registradas no estado de São Paulo e 31.174 casos foram confirmados nesse período de quarentena.

São Paulo e coronavírus

São Paulo é o estado mais afetado pela pandemia. Autoridades governamentais paulistas estão elaborando medidas para evitar que o vírus continue evoluindo.

O prefeito da capital, Bruno Covas, informou que vias expressas e algumas ruas serão limitadas nos próximos dias. O prefeito informou que essa é uma das alternativas para dificultar a saída da população para as ruas, tendo em vista que muitas pessoas continuam descumprindo as medidas de quarentena.

Além disso, o uso das máscaras se tornou obrigatório para aquelas pessoas que pegam transportes públicos. O prefeito também informou que a viagem em transportes públicos só irá acontecer se todos os passageiros estiverem usando as máscaras. O intuito é evitar que outras pessoas se contaminem com o vírus.

Siga a página Coronavirus
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!