Novos capítulos sobre a tragédia envolvendo o delegado Paulo Bilynskyj e a namorada Priscila Delgado estão vindo à tona. No último dia 20 de maio, vizinhos ouviram disparos de arma de fogo vindos do apartamento do delegado em São Bernardo do Campo, São Paulo.

Ao chegarem no local, policiais se depararam com Bilynskyj baleado por seis tiros e sua namorada, Priscila Delgado, com um disparo na altura do coração. A modelo veio à óbito logo após ser socorrida e o delegado foi internado na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) do Hospital Mário Covas, em Santo André, onde foi submetido à várias cirurgias.

Logo após o ocorrido, ainda debilitado, Bilynskyj afirmou que a namorado teria atirado contra ele e, posteriormente, disparado contra si mesma após ver mensagens em seu celular. Após ter alta do hospital, o delegado prestou depoimento à Polícia. De acordo com o Jornal da Record, Bilynskyj revelou que teria sido ele quem tirou o carregador da arma que teria sido usada nos disparos e explicou o motivo.

Bilynskyj aponta sumiço de pertences

Ainda de acordo com o Jornal da Record, Paulo Bilynskyj afirmou, em depoimento, que teria dado falta de alguns pertences que estariam em seu apartamento até o dia da tragédia, como jóias de ouro e parte de uma quantia de R$ 50 mil reais. O delegado não teria registrado boletim de ocorrência acerca dos pertences supostamente desaparecidos.

Uma das dúvidas da polícia girava em torno da presença do sangue do delegado na arma que teria sido usada nos disparos, o que seria inviável de acordo com a versão de Bilynskyj de que a namorada teria atirado contra ele e contra si.

Na cena do crime a polícia constatou que o carregador da arma teria sido removido.

Em depoimento, o delegado confessou que teria retirado o carregador da pistola por pensar que o tiro disparado por Priscila contra o próprio peito teria acertado de raspão.

Bilynskyj disse à polícia que teve medo de que a namorada pudesse pegar a arma novamente, isso explicaria a presença de seu sangue na pistola, pois a esta altura, segundo sua versão, já estaria baleado.

A polícia ainda não concluiu o inquérito e segue investigando as circunstâncias do crime.

Briga por ciúmes

De acordo com a revista Época, ainda em depoimento à polícia, Paulo Bilynskyj revelou que a briga teria sido motivada por ciúmes, já que sua namorada teria tido acesso à mensagens em seu celular através de um aplicativo instalado no computador. Além disso, a modelo também teria visto fotos íntimas de outra mulher contidas no celular do delegado.

O casal estaria junto há pouco mais de cinco meses, e teriam planos de casamento. O romance foi interrompido no último dia 20, por motivos reais que a polícia segue investigando.

Siga a página Polícia
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!