Um crime tem gerado revolta na cidade de Planalto, no Rio Grande do Sul. Segundo informações da Polícia, o menino Rafael Mateus Winques foi morto pela mãe, Alexandra Dougokenski, que chegou a denunciar o desaparecimento do filho. De acordo com o site G1, Alexandra gravou entrevistas a programas de TV pedindo para que o filho voltasse para casa.

Na última segunda-feira (25), a mãe de Rafael prestou depoimento à polícia e teria confessando o crime. Alexandra afirmou que teria administrado medicamentos para o filho se acalmar e que, posteriormente, o menino teria vindo a óbito. No último domingo (31), o programa "Fantástico" exibiu uma matéria exclusiva sobre o caso e mostrou a casa onde Alexandra teria assassinado o filho.

No quarto do menino, Rafael define a mãe como "maravilhosa" em uma tarefa escolar.

Até o momento, a polícia já colheu o depoimento de cerca de 30 pessoas, incluindo a avó materna do menino.

Mãe de Rafael apresentou contradições

De acordo com o programa "Fantástico", a polícia passou a desconfiar de Alexandra Dougokenski após contradições em seus depoimentos à polícia. A mãe de Rafael confessou ter oferecido medicamentos controlados para ansiedade ao filho, o que, segundo ela, teria causado a morte do menino.

O delegado responsável pelo caso, Ercílio Carletti, falou sobre o crime e afirmou que, de acordo com a versão de Alexandra, a mesma teria dado medicamentos em excesso ao filho e, ao verificar que o menino não possuía mais sinais vitais, teria decidido ocultar o corpo.

Após assassinar o filho, Alexandra teria levado o corpo do menino até uma casa vizinha que estaria alugada, porém, os moradores estariam ausentes. Jean Severo, advogado de defesa da mãe de Rafael, também de manifestou sobre o caso. Segundo o representante de Alexandra, quando sua cliente se deparou com o filho sem batimentos cardíacos no quarto, teria ficado com medo.

O advogado afirmou que não houve dolo, ou seja, Alexandra não teria tido a intenção de assassinar a criança. Já o delegado Ercílio Carletti afirmou que a linha de investigação da polícia aponta para estrangulamento e morte por asfixia, contradizendo a versão apresentada pela mãe.

Novo interrogatório

De acordo com o site G1, no último sábado (30), Alexandra Dougokenski foi novamente interrogada pela polícia.

A mãe de Rafael reafirmou que não teria tido a intenção de matar o filho. O delegado Eibert Moreira Neto, responsável por colher o depoimento, contou que a mãe relatou porque não pediu socorro após ter dado os medicamentos. "Ela disse ter testado os sinais vitais pela forma que ela sabia fazer, e mesmo depois desses testes, ela acreditou que ele estivesse morto, então, ela resolveu apenas ocultar o cadáver", revelou o delegado.

Siga a página Polícia
Seguir
Siga a página Relacionamento
Seguir
Siga a página Saúde
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!