Em meio à pandemia causada pelo novo coronavírus, inúmeros profissionais seguem trabalhando na linha de frente e se colocando em risco para salvar a vida de outras pessoas. Assim foi com o médico Orlando Tavares Pinheiro, de 47 anos. De acordo com o site G1, Orlando atuava na UTI da Unidade de Pronto-Atendimento (UPA), de Santa Isabel, São Paulo.

O profissional era diabético e fazia parte do grupo de risco da Covid-19, e, mesmo assim, resolveu permanecer em seu posto de trabalho na linha de frente do vírus e atendendo aos seus pacientes. O médico acabou se infectando com o novo coronavírus, recebendo o diagnóstico no último mês de julho.

Há cerca de dois meses, no mês de maio, a enfermeira Arlete Alves da Silva, de 37 anos, esposa de Orlando, pediu para que o marido deixasse os plantões na UTI para Covid-19 a fim de evitar o risco de contágio, porém, o médico se recusou a deixar o hospital, e acabou sendo mais uma vítima da pandemia.

Médico relatou medo à esposa

Ainda segundo o site G1, Arlete Alves enviou uma mensagem ao marido e pediu para que ele deixasse seu trabalho neste período de pandemia. A resposta do médico Orlando Tavares emocionou a esposa. Orlando afirmou que se preparou por toda sua vida para estar onde estava: "meu lugar é aqui, na frente de batalha, é o que eu sei fazer".

O médico afirmou que tomaria todos os cuidados possíveis, mas não poderia abandonar seus pacientes.

Por fim, Orlando disse que amava muito à sua família e confidenciou que sentia medo da situação em algumas ocasiões.

No último dia 21 de julho, o médico acabou se tornando mais uma das vítimas fatais no novo coronavírus após ficar entubado no Hospital das Clínicas de São Paulo por mais de 20 dias. Orlando e Arlete, eram casados há catorze anos e tiveram duas filhas juntos.

Segundo dados fornecidos pelo Ministério da Saúde, médicos ocupam o segundo lugar na lista de profissionais que mais morrem por Covid-19 desde que a pandemia teve início.

Números da Covid-19 no Brasil

Os casos de Covid-19 seguem crescendo em todo o Brasil. De acordo com o site G1, nesta segunda-feira (27), 87.131 mortes foram confirmadas até as 13h.

O números de casos confirmados da doença chegou a 2.423.798. Estados como AC, AM, AL, CE, PE, RN, apresentaram queda até o último domingo (26). Os dados sobre casos e mortes de coronavírus no Brasil foram obtidos após um consórcio entre G1, O Globo, Extra, O Estado de S. Paulo, Folha de S.Paulo e UOL.

Especialista seguem com as recomendações de isolamento social e aumento da higienização a fim de evitar o avanço de contágio e morte pelo novo coronavírus. Até o momento, nenhuma vacina foi considerada eficaz e obteve aprovação dos órgãos de vigilância sanitária.

Siga a página Saúde
Seguir
Siga a página Mulher
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!